Friday, Jan. 20, 2017

Câmara frusta desejo da população e rejeita projeto para a construção de novo Cemitério em Pontes e Lacerda

Escrito por:

|

28 de novembro de 2016

|

Postado em:

Câmara frusta desejo da população e rejeita projeto para a construção de novo Cemitério em Pontes e Lacerda

A Câmara – excetuados os vereadores Ivanildo Amaral, Natalicia e Italiano  – rejeitou hoje o Projeto de Lei que autoriza o Poder Executivo a licitar a construção de um novo Cemitério em Pontes e Lacerda, já que o atual está com a capacidade esgotada.

Desde a administração de Nelson Miura, não há “viva alma” no município que não reconheça a necessidade um novo local para sepultar nossos mortos. Mais decente, digno, que não precise violar sepulcros antigos para abrigar novos falecidos, por absoluta falta de espaço.

É comum ouvir comentários de pessoas que ainda estão velando seus entes queridos terem que se deslocar ao Cemitério Municipal e lá permanecer horas escolhendo o local onde retirar corpos há muito  enterrados para colocar o corpo do parente ainda insepulto.

A vereadora Natalícia, indignada, revelou em pronunciamento na Câmara na sessão de hoje que, quando foi visitar o túmulo do pai de seu marido teve uma desagradável surpresa. Os restos mortais não estavam mais no local de onde havia sido sepultado e já havia outro corpo enterrado no lugar. E ela ainda não sabe qual o destino dos ossos.

A justificativa de alguns parlamentares é de que a construção de um novo cemitério através da iniciativa privada pode impedir o sepultamento de mortos cujos parentes não tenham condições financeiras para pagar as despesas decorrentes. Discurso falso pois, a exemplo de um loteamento residencial, a prefeitura tem reservada por lei 35% do espaço para destinar a quem não tem poder aquisitivo suficiente.

Com essa decisão impensada dos vereadores que votaram contra o projeto, a população de Pontes e Lacerda vai ter que continuar utilizando o Cemitério Municipal para enterrar seus mortos. E esses, ao invés do descanso eterno, vão “conviver” com a possibilidade de, quando menos esperam, se virem retirados do local onde deveriam repousar em paz, para que outro falecido – mais recente – acabe tomando seu lugar para o merecido descanso.

Esses parlamentares contrários à construção do novo Cemitério acabaram por sepultar um anseio da população e a vontade do prefeito Donizete Barbosa de cumprir mais uma promessa de campanha. Insensíveis, não é sem motivo que a população renovou a Câmara como nunca antes tinha acontecido.

Quem sabe o novo prefeito – que nada prometeu na campanha eleitoral  – coloca na pauta de suas ações e re-encaminhe o projeto para a Câmara no ano que vem.

O desejo de toda a sociedade só se completará se as famílias tiverem dignidade na hora de se despedir dos seus entes queridos e que seus corpos consigam repousar em paz.

Isso só será possível em um novo Cemitério.

 

 

 

 

Print Friendly

Artigos relacionados

Acusado de homicídio em Pontes e Lacerda poderá responder o crime em regime fechado
Jovem de 20 anos é preso com um quilo de maconha em Pontes e Lacerda
O que o prefeito ainda não viu

(6) Readers Comments

  1. Ze
    29 de novembro de 2016 at 07:00

    Deveria ter divulgado o nome desses gente fina que foi contra e mostrar para sociedade, porque esses vereadores não sei o que fazem, mudaram seção para segunda de manhã onde a maioria da população não pode acompanhar o que e falado e aprovado ali e agora mas essa.

  2. Reginaldo Pereira
    29 de novembro de 2016 at 08:31

    Tem que ver o motivo de não ter aprovado. Fica muito vazio essa informação. Outra duvida, porque não fez uma matéria relatando o prejuízo que o vereador Ivanildo Amaral deu aos cofres públicos, com sua língua afiada. -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Nota do Blogueiro: Releia, por favor o parágrafo 5º.

    • Ze
      29 de novembro de 2016 at 08:59

      Bem lembrado Reginaldo, vi essa matéria em vários site de nível estadual, engraçado que em Pontes e Lacerda ninguém fala nada, as televisões aqui se quer fizeram questão de informar a população, ele deveria falar menos e trabalhar mas

  3. Zé do São Cristóvão
    29 de novembro de 2016 at 11:38

    Quer dizer que agora, além de preocupações com aquilo que a prefeitura nos nega enquanto vivos, devemos ficar preocupados também com a negação de um descanso merecido de nossos restos ( restos não é uma palavra boa, mas é a usada e aceita universalmente ). Que coisa!

  4. ademir henares
    29 de novembro de 2016 at 15:49

    Esses vereadores acham que são eternos e não vão morrer uma dia , essa é uma das piores camaras de vereadores que ja formaram nessa cidade, com algumas ressalvas apenas .....

  5. Gustavo Lima
    7 de dezembro de 2016 at 10:12

    A população só não quer "PAGAR" POR MAIS UM SERVIÇO PÚBLICO. Se paga tanto enquanto vivo, agora querem explorar até a morte dos cidadãos. É fato inegável que privatização deliberada de serviços públicos, afeta aqueles que não podem ou 'não devem pagar' por estes serviços. mais uma vez é crível a sombra tendenciosa e favoritista. Na mesma linha sabemos que seguiu coloridas matérias na imprensa local para privatizar o necrotério municipal, é preciso dormir de toca, para não ver, que se quer formar opinião diversa das verdades dos fatos.

Deixe um comentário sobre isso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA

*