Saturday, Jan. 20, 2018

Loading...

Caso Santa Casa: prefeito de Comodoro culpa Alcino até pela falta de diálogo

Caso Santa Casa: prefeito de Comodoro culpa Alcino até pela falta de diálogo

Com o anuncio no corte vertical do repasse da contratualização do governo do Estado com a Santa Casa de Pontes e Lacerda, a partir deste mês , os 10 municípios da regional de saúde estão mostrando que estão desmobilizados e, pior, sem qualquer direção dificultando uma ação coordenada visando manter a Santa Casa de portas abertas.

Não há consenso sequer na necessidade de utilizar os recursos residuais que estão no caixa da Prefeitura Municipal de Pontes e Lacerda, que é destinado pelo Governo do Estado. 

Desde junho a CIR (Conselho de Intergestores Regionais) tenta dificultar, ao invés de buscar solucao o problema do corte nos recursos vindos para o hospital.

Na ultima reunião, mostrando falta de alinhamento politico com os chefes de executivo, os secretários de saúde, cargos de segundo escalão, decidiram impedir a utilização dos recursos disponíveis para minorar os problemas financeiros do hospital ate que se encontre uma solucao pela secretaria estadual de saúde.

A Secretária de Saúde de Comodoro foi uma que trabalhou para impedir a utilização dos recursos. Segundo o Prefeito, Jeferson Ferreira, o dinheiro não tem sido utilizado de forma correta. “O governo entra com essa contrapartida fazendo uma pactuação com o município de Pontes e Lacerda através do polo para que seja atendida a região. Porém o dinheiro não tem sido usado de maneira correta para atender a região, tem sido atendida somente a população de Pontes e Lacerda,” afirmou.

O Prefeito ainda explicou, “Não que eu seja contra o atendimento de Pontes e Lacerda, porém, o P. A (Pronto Atendimento) tem que ser mantido pela prefeitura municipal e não pelo polo regional, pelo dinheiro que vem do polo. A “nossa briga” na questão desse recurso é justamente sobre isso, porque ele é da regional e não de Pontes e Lacerda.” “A CIR e o COSEMS, tem dito como esse dinheiro pode ser usado. Essa pactuação com o hospital pode existir com esse recurso desde que seja atendida a regional e não pra usar pra pagar conta do hospital pra usar dentro do hospital, pra usar pra pagar o P.A de Pontes e Lacerda que não é responsabilidade deste recurso”.

Em entrevista dada a equipe de jornalismo da TV Centro Oeste, o gestor falou sobre a relação com o presidente do consórcio municipal de Saúde,  Alcino Barcelos. “Muito ruim! Eu sou bem claro, muito ruim. Como vice-presidente, não estou condenando o Prefeito de Pontes e Lacerda, mas com ele não tem discussão. O Alcino, infelizmente nos deixa numa situação muito difícil aqui na nossa regional por vários motivos. Primeiro por que não tem dialogo, nós não conseguimos dialogar com o prefeito”. “Quando nós assumimos a prefeitura de Comodoro com mais de 8 milhões em dividas, e tinha dividas do consorcio. Eu pedi um parcelamento para o presidente e até hoje ele não deixou parcelar o recurso anterior, a divida não era minha, era da prefeitura eu assumi e assumi a divida junto. Nós temos uma dificuldade de dialogo com o presidente, fico muito chateado por que nossa região é uma região fantástica, nós temos que unir força, precisamos nos fortalecer, e esse fortalecimento muitas vezes não é feito por falta de dialogo dos próprios prefeitos”, finalizou.

José Odil da Silva, Prefeito de Campos de Julio, foi procurado por nossa equipe, mas estava em  reunião e não pode nos atender para falar sobre o assunto.

Print Friendly, PDF & Email

Artigos relacionados

Polícia Militar e Corpo de Bombeiros realizam operação Bairro Seguro em Pontes e Lacerda
Governador Pedro Taques recebe lideranças políticas discutir a saúde no estado ; Vereador Maxsuel Guimaraes representa Pontes e Lacerda
IFMT de Pontes e Lacerda abre seletivo com vaga para professor de matemática

(1) Reader Comment

  1. Ricardo
    26 de julho de 2017 at 07:36

    Em minha opinião o Alcino esta se mostrando um péssimo prefeito. e ainda esta deixando casos pessoais a interferir em seu mandato, trazendo prejuízos a população. Como ser o caso da pavimentação asfáltica no Residencial Gloria. vai acabar perdendo por birra.

Deixe um comentário sobre isso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

20 de January de 2018

Clear all