Tuesday, Dec. 12, 2017

Loading...

Blog do Vieira

Eleição para nova diretoria da Santa Casa será nesta quarta

Enviado em: 11 de dezembro de 2017 09:43
Eleição para nova diretoria da Santa Casa será nesta quarta

O Conselho Curador do Hospital Vale do Guaporé, a Santa Casa de Pontes e Lacerda, deve se reunir na próxima quarta-feira (12/12), às 19:30 hs, para promover a eleição do Conselho que vai administrar o Hospital pelos próximos dois anos, a partir de 2018.

Os nomes dos novos diretores ainda estão indefinidos, podendo acontecer à reeleição da atual diretoria.

Há comentários de que uma chapa encabeçada pelo pecuarista Fabio Herbert, candidato a prefeito de Conquista d’Oeste nas últimas eleições, estaria se articulando para concorrer. Com ele participariam da nova diretoria os empresários Mauro Ramos e Eliana  Matsuda.

A tendência é de que não haja disputa pois o sentimento de todos é a busca de consenso. Por essa razão não está afastada a possibilidade de que Ideraldo Costa permaneça no cargo.


Comente

Alcino vai à Câmara nesta segunda-feira insistir que não criou a Taxa de coleta de lixo

Enviado em: 09 de dezembro de 2017 18:11
Alcino vai à Câmara nesta segunda-feira insistir que não criou a Taxa de coleta de lixo

Esta segunda-feira(10/12) promete ser uma das mais tensas do ano, na relação da Câmara com o Prefeito Municipal de Pontes e Lacerda.

Está programada para as 7:30 hs uma reunião do Chefe do Executivo com os vereadores. Logicamente, o assunto é o projeto de Lei 2191, que trata dos resíduos sólidos e a criação da Taxa de Coleta de Lixo.

A reunião deve promover o encontro do prefeito com o vereador Anderson Barbosa, a quem – durante a semana – chamou várias vezes de mentiroso, disse para “tirar o traseiro da cadeira” e mandou trabalhar.

Para amenizar o clima Barcellos terá a companhia dos “seus representantes” na Câmara.

A determinação do prefeito é para que os vereadores que o apoiam convençam os demais parlamentares para que o projeto de lei seja aprovado sem emendas ou ressalvas e que fique assegurado que ele nunca cogitou criar a taxa de coleta de lixo.

Já há comentários que algumas obras serão programadas para após a votação. Uma delas é a cobertura do espaço da feira livre. Alguém disse ter ouvido o prefeito dizer que faz até com recursos próprios para cumprir o compromisso.

Bem típico da política brasileira.


Comente

A responsabilidade institucional dos vereadores e a taxa de coleta de lixo

Enviado em: 09 de dezembro de 2017 11:10
A responsabilidade institucional dos vereadores e a taxa de coleta de lixo

A repercussão que o Projeto de Lei 2191 teve junto a população é de que, com a aprovação na Câmara, abre-se a possibilidade real de ser instituída em Pontes e Lacerda a taxa de Coleta de Lixo. Essa sensação aumentou quando o artigo 47 veio à tona, detalhando os critérios para a cobrança da nova taxa. No parágrafo Único, a Câmara “assina um cheque em branco para o Executivo”, autorizando que a taxa seja implementada por um simples decreto municipal.

Na análise desse “imbroglio” devemos despersonificar os agentes e tratar o caso de forma institucional. Esquecer Alcino Barcellos e os vereadores deste mandato e tratar o caso no âmbito do Executivo e Legislativo.

Assim, o Executivo encaminhou ao Legislativo um projeto de lei que, de forma clara, límpida e transparente, cria o ambiente jurídico e administrativo adequado para a instituição da taxa de coleta de Lixo. A aplicação será por decreto.

O Legislativo tem por função verificar a constitucionalidade da Lei proposta, a conveniência para a população, e se o momento é adequado para a aplicação. Aí reside a independência dos poderes.

O “xis” da questão é que vários vereadores estão abandonando seus mandatos para se transformarem em representantes do prefeito Alcino, na Câmara. E cito nomes emblemáticos: Juninho Cabeleireiro, Cleber Sella e, pasmem, Rogério Lero Lero. Esses, e alguns outros, tem demonstrado claramente que votam com o atual prefeito,  não necessariamente com o Executivo. São verdadeiras “caixa de ressonância” dos argumentos de Barcellos, na Câmara. E porque o prefeito exige, vão defender e votar a favor do projeto em questão mantendo o artigo 47. Façam suas apostas.

Já que o prefeito Alcino Barcelos não tem o perfil conciliador e falta habilidade política, agora seria o momento para que os vereadores (e não os representantes do prefeito) proponham alternativas que atendam aos anseios da população – retirando parcialmente ou adequando o projeto para que não implante qualquer nova taxa – e que também satisfaçam as necessidades do Executivo, que é a de normatizar a questão do saneamento básico, inclusive para receber recursos federais.

Como exemplo, retirar do texto do projeto de lei a possibilidade de criar a taxa por decreto poderia atender tanto o Executivo quanto o Legislativo. Outra solução – aventada pelo vereador Ivanildo Amaral – é fixar na Lei a realização de uma audiência pública sobre a conveniência de implantar a taxa de coleta de lixo – quando o prefeito considerar que seria o momento oportuno.

O bom político é o que cria meios consensuais de solução de conflitos. E essa é a hora deles aparecerem.

Nem sempre o mais poderoso e o mais esperto vencem. Às vezes é o que usa melhor a inteligência.


Comente

A verdade nua e crua

Enviado em: 07 de dezembro de 2017 13:28
A verdade nua e crua

“Diz uma parábola judaica que certo dia a mentira e a verdade se encontraram.
A mentira disse para a verdade:
– Bom dia, dona Verdade.
E a verdade foi conferir se realmente era um bom dia. Olhou para o alto, não viu nuvens de chuva, vários pássaros cantavam e vendo que realmente era um bom dia, respondeu para a mentira:
– Bom dia, dona mentira.
– Está muito calor hoje, disse a mentira.
E a verdade vendo que a mentira falava a verdade, relaxou.
A mentira então convidou a verdade para se banhar no rio. Despiu-se de suas vestes, pulou na água e disse:
-Venha dona Verdade, a água está uma delícia.
E assim que a verdade sem duvidar da mentira tirou suas vestes e mergulhou, a mentira saiu da água e vestiu-se com as roupas da verdade e foi embora.
A verdade por sua vez recusou-se a vestir-se com as vestes da mentira e por não ter do que se envergonhar, saiu nua a caminhar na rua.
E aos olhos de outras pessoas era mais fácil aceitar a mentira vestida de verdade, do que a verdade nua e crua.”

Qualquer semelhança com o caso da criação da taxa de lixo não é mera coincidência.


Comente

Alcino preparou presente de final de ano para a população. Câmara estragou a surpresa

Enviado em: 05 de dezembro de 2017 11:19
Alcino preparou presente de final de ano para a população. Câmara estragou a surpresa

O prefeito Alcino Barcellos preparou um presente de final de ano para a população de Pontes e Lacerda.  Ao encaminhar o projeto de Lei nr. 2191  o prefeito tentou, sub-repiticiamente, a pretexto de normatizar a área de saneamento básico, induzir os vereadores a votarem a criação da taxa de coleta de resíduos sólidos, a taxa de lixo.

A pressa na votação também se justifica, pois a tributação poderá ser aplicada já no ano que vem.

O referido projeto trata da “política municipal de saneamento básico e cria o conselho e o fundo municipal de saneamento”. E também dispõe da normatização da taxa de coleta, tratamento e manejo de resíduos sólidos. No artigo 47, Alcino Barcellos deixa bem claro como o novo imposto será cobrado , levando em consideração o nível de renda, características dos imóveis, peso ou volume coletado e o tipo de resíduo gerado.

A Votação no plenário da Câmara estava encaminhada quando o vereador Anderson Barbosa detectou o verdadeiro espírito da Lei e pediu que a sessão fosse suspensa para uma análise mais aprofundada do referido projeto.

Ao perceberem que, na prática, o Poder Executivo estava instituindo mais uma taxa para a sociedade arcar, os parlamentares – por unanimidade – retiraram o projeto da pauta, devendo ser votado na próxima sessão legislativa, 11 de dezembro.

 

 


Comente

Vereadores denunciam que Alcino comprou peças com o dinheiro que era destinado para aquisição do aparelho de raio-X

Enviado em: 04 de dezembro de 2017 20:55
Vereadores denunciam que Alcino comprou peças com o dinheiro que era destinado para aquisição do aparelho de raio-X

Uma emenda parlamentar do deputado Wancley (PV) destinou R$ 165 mil para que o município de Pontes e Lacerda adquirisse um aparelho de raio-x digital e colocasse à disposição da comunidade através do Hospital Santa Casa.

O valor ficou disponível para a Prefeitura antes das eleições municipais do ano passado. Alcino Barcellos se recusou a entrar com  a contrapartida – parte dos recursos de responsabilidade do governo municipal.

Enquanto a aquisição não foi feita a Santa Casa se viu obrigada a alugar um aparelho de raio-X, ao preço de R$ 10 mil mensais. Com a paralisação do atendimento, o contrato de locação foi também rescindido.

Na última sessão da Câmara, os vereadores foram informados que o dinheiro para a compra do equipamento foi utilizada para a compra de peças para um laboratório.

 


Comente

Alcino usa Facebook para se auto-promover. E para baixarias também

Enviado em: 03 de dezembro de 2017 22:43
Alcino usa Facebook para se auto-promover. E para baixarias também

As mídias sociais, principalmente o Facebook, tem sido utilizadas por agentes públicos para autopromoção e divulgação do pensam e da própria versão dos fatos. Tem sido muito útil para “massagear o ego” pois o público-alvo normalmente é de simpatizantes e, quando não, de “olheiros”.

Os que não estão nos grupos de relacionamento e não compõem o círculo de amizade das “celebridades” sequer tomam conhecimento do que está acontecendo. De bom ou de ruim.

Alcino Barcellos costuma usar o facebook para mandar recados, emitir opinões e, ultimamente, discutir com os que emitem comentários que o desagradam. Já chegou a excluiu algumas pessoas que assim procederam.

Com um perfil autoritário, não admite ser contrariado. Pior, por absoluta falta de argumentos, transfere a discussão para o lado pessoal.

Como foi o caso de uma postagem neste final de semana sobre a aquisição da UTI Móvel feita pelo ex-prefeito Donizete Barbosa, comparando com a compra de uma ambulância adaptada a um Uno pela atual gestão.

Em determinado momento, mostrando que não está preparado para ser contrariado, Alcino “entra na conversa” não para explicar ou dar sua versão sobre o assunto, mas unicamente para atingir diretamente o lado pessoal de um dos comentaristas:”Quem demitiu o … fui eu, mostra a carta de sua demissão, você é um mentiroso, …, ou vou ter que publicar a carta de sua demissão com minha assinatura,…”.

Os bajuladores de plantão, as “alcinetes” como são conhecidos, sempre acham que o prefeito está certo.

Os que não concordam – e querem continuar no “face do Barcellos” – “preferem” não comentar. Compartilham no whatts app e só lá emitem opinião: Para o prefeito não ficar sabendo.

Tirem suas conclusões.

 

 

 


Comente

Alcino assumiu a gestão de todos os recursos para a saúde na região sudoeste de Mato Grosso

Enviado em: 03 de dezembro de 2017 19:28
Alcino assumiu a gestão de todos os recursos para a saúde na região sudoeste de Mato Grosso

Para Pontes e Lacerda foi um ótimo negócio. Pelo menos aparentemente. O prefeito de Pontes e Lacerda decidiu assumir a gestão plena da saúde na regional sudoeste do Estado. O documento que dá plenos poderes a Alcino já foi assinado, aprovado pela Comissão Interpartite regional – CIR, que reúne secretários municipais de saúde – e pela CIB – Comissão formada por representantes dos governos municipais e estadual.  Tudo foi homologado pelo Conselho Municipal de Saúde.

Agora Alcino Barcellos gerencia todos os recursos destinados à saúde, principalmente ao que diz respeito ao chamado MAC (média e alta complexidade). As verbas federais referentes a AIHs (Autorizações para internações hospitalares) inclusive de municípios da região são administradas pelo prefeito de Pontes e Lacerda.

Além disso, Barcellos é o presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde, que reúne os municípios da região. Ele também recebe os recursos do Governo do Estado e repassa para o Hospital da Santa Casa.

Tanto poder concentrado em um só gestor dá a oportunidade de cumprir as promessas de campanha na área da saúde.

Alcino terá a oportunidade de convencer os prefeitos da região a contribuírem com a Santa Casa, poderá colocar a UPA para funcionar (dinheiro para aquisição de equipamentos está na conta da Prefeitura), otimizar as altas verbas administradas pelo Consórcio Intermunicipal, adequar os recursos para o Pronto Atendimento que estão defasados em quase um milhão e meio de reais por ano e buscar aumentar o valor dos repasses do governo do Estado atualmente reduzidos a apenas R$ 320 mil mensais para 2018.

Barcellos poderá também pagar os R$ 400 mil devidos ao Hospital pela cessão do terreno onde foi construído a UPA, dívida que se arrasta desde  a gestão Donizete Barbosa. Esse valor servirá para a Santa Casa honrar acordos trabalhistas.

Com o poder da “caneta na mão” e com dinheiro- sonho de todo administrador – o prefeito de Pontes e Lacerda poderá, em curto espaço de tempo – fazer uma revolução da qualidade do atendimento à saúde na nossa região.

Só não faz se não quiser. Ou se não tiver competência.


Comente

Santa Casa: sem médico, sem medicamento, sem comida. Nada está tão ruim que não possa piorar.

Enviado em: 28 de novembro de 2017 06:00
Santa Casa: sem médico, sem medicamento, sem comida. Nada está tão ruim que não possa piorar.

O Hospital Santa Casa está “em estado vegetativo”. O trabalho de consultoria do SEBRAE – bancado mais uma vez por empresários – se encontrar uma alternativa para a sobrevivência, poderá colocar uma “pá de cal” nas pretensões de Pontes e Lacerda ter um hospital que atenda a população local e regional com dignidade, como ela merece.

E os únicos que não são culpados são os servidores e a população. Aliás, as grandes vítimas do descalabro e da falta de sensibilidade da maioria da classe política.

Atendendo precariamente – dizem que com apenas trinta por cento do efetivo – os funcionários não tem nem como se alimentar no ambiente de trabalho. Comida? nem para pacientes! Médicos estão sem condições de trabalho, racionando até medicamentos, colocando em risco seus registros profissionais.

A população reclama, os mais necessitados sofrem com a falta de atendimento – dever do poder público – e muitos políticos não aceitam serem criticados pela falta de ação.

Na sessão de hoje na Câmara, alguns vereadores não admitiram as criticas. Os mesmos que só defendem  a Santa Casa no microfone. Uma vereadora chegou a dizer que “está a disposição da Santa Casa, basta chamá-la”. Como se o caso não merecesse atenção especial, e nem fosse obrigação dela tomar a iniciativa de ajudar a buscar uma solução. À exceção dos vereadores Ivanildo Amaral, Maxsuel Guimarães, Anderson Barbosa e do presidente Pedro Vieira, os demais não participam da maioria das ações que envolvem o Hospital.

Agora é hora de largar o microfone e “arregaçar as mangas”.

Sem médicos, sem remédio, sem comida, racionando medicamentos a pacientes. Podia ser pior?


Comente

Diretoria da Santa Casa se reúne com secretários de saúde da região para informar para onde estão indo dinheiro da saúde

Enviado em: 22 de novembro de 2017 08:27
Diretoria da Santa Casa se reúne com secretários de saúde da região para informar para onde estão indo dinheiro da saúde

O diretor administrativo da Santa Casa, Ideraldo Pires da Costa, deve se reunir hoje à tarde com prefeitos e secretários de saúde da região para buscar uma solução conjunta para a retomada do atendimento do hospital. O encontro está programado para acontecer no auditório do Ministério Público. O prefeito Alcino Barcellos não deve participar.

Na oportunidade os responsáveis pela área de saúde pública vão tomar conhecimento, em detalhes, da origem dos recursos públicos – estaduais e municipais –  e a destinação que estão tendo.

Em conversa com o diretor do Escritório Regional de Saúde, Romes Amurim, ele informou que deve participar do evento, mas não quis adiantar a pauta, dizendo apenas que o interesse de todos é de que se encontre logo uma solução para o problema da saúde, que não esteve tão grave no município.

Segundo conseguimos apurar, uma equipe do Sebrae foi contratada por empresários locais para fazer um diagnóstico econômico-financeiro e também verificar a viabilidade da Santa Casa continuar em funcionamento. Os analistas devem começar os trabalhos ainda esta semana e terão trinta dias para apresentar o relatório final.


Comente

Pontes e Lacerda já teve quatro hospitais. Hoje prioriza compra de ambulâncias

Enviado em: 17 de novembro de 2017 22:35
Pontes e Lacerda já teve quatro hospitais. Hoje prioriza compra de ambulâncias

A lógica perversa de uma administração desastrada na saúde.

Pontes e Lacerda sempre quis ser polo regional, desde a época do então prefeito Newton Miotto. Geograficamente bem localizada, está bem distante de Cuiabá e com quase uma dezena de municípios no seu entorno.

Para a área da saúde, então, as condições seriam as melhores. Como polo, a ideia era atrair laboratórios, novas clínicas com especialidades diversas, empresas com novos equipamentos médicos de alta tecnologia e, mais profissionais da área da saúde. Além de dotar a Santa Casa de estrutura adequada para atender a região.

Começamos na administração Donizete Barbosa a receber profissionais e empresas de Cáceres que estavam vindo para Pontes e Lacerda, a princípio, algumas vezes por mês, sinalizando que estavam dispostos a investir na saúde do município.

Foi assim também com equipamentos de alta tecnologia, clínicas, profissionais de dermatologia, urologia, neurologia e outras especialidades.

Vários desistiram de continuar atendendo em Pontes e Lacerda. Um verdadeiro retrocesso, por falta de incentivo do poder público que não comprava os serviços e pela perspectiva frustrada.

O município já teve quatro hospitais quando a população era menos da metade da atual (Hospital São Lucas, Santa Cruz, Santa Helena (atual Ótica Visual) e Santa Casa), Tivemos até duas semanas atrás um hospital que atendia a população regional. Hoje a Santa Casa se transformou num Posto de Saúde.

Antes, tínhamos médicos cirurgiões, anestesistas, outros especialistas e uma população que aumentava. Hoje, qualquer cirurgia é feita em outro município e até partos são feitos fora, em Cáceres e Vila Bela da SS Trindade. A média de nascimentos que poderiam ser feitos em Pontes e Lacerda varia entre 60 e 80 por mês.

De nada adiantou o esforço da população em promover leilões beneficentes, campanhas para melhorar a estrutura física da Santa Casa. Hoje os coordenadores do  Leilão Solidário tem recursos disponíveis para a compra de equipamentos para o hospital e não sabem o que fazer.

Crescer como, dessa maneira?

Essa preferência por aquisição de ambulâncias mostra claramente uma forma de governo desastrada e perversa para o município.

Basta verificar, para dar apenas um exemplo, os custos do transporte de um paciente ou parturiente para Cáceres:

  • Diária do médico: R$ 500,00; diária de enfermeiro: R$ 200,00; diária do motorista: R$ 213,56, combustível, risco do paciente, desgaste do veículo. Custo mínimo de R$ 1.200,00 por viagem. Calcule o valor em um ano.
  • É importante ressaltar que os profissionais que acompanham pacientes normalmente são desviados de suas funções. Um exemplo é a enfermeira que estava na ambulância quando uma jovem se suicidou, se jogando do veículo, há poucos dias. A servidora é Coordenadora na área da saúde.

Direcionar recursos para implantar um serviço decente de atendimento nos ESF’s e Santa Casa que evolua em qualidade ao longo do tempo ou continuar investindo na aquisição de ambulâncias.

Eis a questão.


Comente

A Prefeitura de Pontes e Lacerda revelou como serão as festividades da virada de ano

Enviado em: 17 de novembro de 2017 06:43
A Prefeitura de Pontes e Lacerda revelou como serão as festividades da virada de ano

Chegar vivo e alimentado no dia 31 de dezembro já será uma façanha. A crise provocada pelos esquerdopatas do PT provocaram desemprego, falência, queda na produção e na geração de emprego e renda, afundando o País numa grande crise econômico-financeira.

Festejar o final de ano seria uma atitude altamente merecida. Até para encarar o novo ano com mais otimismo, com renovado ânimo.

Comemorar a chegada de 2018 será para quem merece. Para quem fez o que pôde e está orgulhoso por ter realizado  o máximo, dentro das circunstâncias. Vale a pena festejar!

Para todos os que merecem fazer uma festa neste final do ano e estão esperando um grande show na praça, o prefeito Alcino Barcellos já está divulgando uma grande notícia, principalmente aos que exagerarem e precisarem de cuidados médicos.

A Prefeitura comprou duas ambulâncias.

Para contra-ponto: Araputanga está convidando o público da região para um mega réveillon com recursos de emendas parlamentares, sem despesas para aquele município.


Comente

Melhorar o atendimento à saúde em Pontes e Lacerda ou comprar ambulâncias

Enviado em: 15 de novembro de 2017 13:40
Melhorar o atendimento à saúde em Pontes e Lacerda ou comprar ambulâncias

A Santa Casa está vivendo em “estado terminal”, com o serviço de Pronto Atendimento – responsabilidade constitucional do poder público municipal e terceirizado  ao hospital – mais parecendo um posto de saúde, devido a falta e racionamento de medicamentos e equipamentos médicos. A única diferença é o horário de atendimento, que na Santa Casa, é vinte quatro horas.

O governo do Estado vem subsidiando a Prefeitura e bancando os custos do Pronto Atendimento em pelo menos R$ 120 mil mensais. O prefeito Alcino Barcellos repassa R$ 165 mil/mês quando deveria pagar R$ 284 mil.

Esse é um dos principais motivos pelo qual os prefeitos não querem nem pensar em defender a Santa Casa e o governo de Mato Grosso ter decidido em diminuir para R$ 320 mil o repasse para o Hospital, que era R$ 650 mil. Só mudam de posição quando o município bancar suas próprias despesas com a saúde.

Por outro lado, o prefeito de Pontes e Lacerda busca o reconhecimento público por ter adquirido duas ambulâncias para o município.

Ao contrário do que pensa Barcellos, tem muita gente que prefere que a estrutura de saúde seja aprimorada na aquisição de equipamentos médicos, estoque adequado de medicamentos, salários dignos aos profissionais da área, funcionamento da UPA e uma Santa Casa preparada para tratar com qualidade os pacientes, não só de Pontes e Lacerda, mas de toda a região, transformando o município em polo regional de saúde.

Administrador público que compra ambulância – como diz o vereador Ivanildo Amaral – recebe um atestado de incompetência ou, ainda pior, mostra que não entende nada de saúde pública.

E você, prefere o quê?


Comente

Pacientes não querem ser atendidos por médicos nos ESF’s e vão para Santa Casa

Enviado em: 13 de novembro de 2017 07:24
Pacientes não querem ser atendidos por médicos nos ESF’s e vão para Santa Casa

Mesmo sabendo que a Santa Casa está com o atendimento cada vez mais precário por falta e recursos do Governo do Estado e da Prefeitura de Pontes e Lacerda, vários pacientes estão insatisfeitos com os médicos que atendem em alguns ESF’s.

Como alternativa, quando necessitam de serviços médicos esses pacientes aguardam até depois das 17 horas – horário de fechamento dos Postos de Saúde – e se dirigem até à Santa Casa para serem atendidos, sobrecarregando o serviço de Pronto Atendimento daquele Hospital.


Comente

Governador em exercício estranha ausência de vereadores nas cobranças sobre saúde nos municípios

Enviado em: 10 de novembro de 2017 19:59
Governador em exercício estranha ausência de vereadores nas cobranças sobre saúde nos municípios

Na última sexta-feira, no Palácio Paiaguás, aconteceu uma reunião entre o Governador em exercício, prefeitos e lideranças políticas para tratar sobre os atrasos de repasses para a saúde.

Em certo momento do encontro Carlos Fávaro quis saber quem eram os participantes. E se surpreendeu ao ver que apenas dois municípios eram representados por prefeitos e também por vereadores. Um deles era Vila Bela da SS. Trindade.

Da região oeste só estavam os Executivos, todos defendendo os interesses de seus municípios. Pouco ou quase nada valeu a importância de Pontes e Lacerda querer ser polo regional de saúde. Tanto que foi confirmado que o valor do repasse para novembro e dezembro para a Santa Casa será de apenas R$ 320 mil mensais.

O próprio prefeito Alcino Barcellos – na comitiva do “eu sozinho”, desacompanhado de vereadores – ressaltou que a Santa Casa de Pontes e Lacerda continuaria com o atendimento reduzido ao mínimo a permanecer o valor estipulado pela Resolução 111/2017.

Na atual conjuntura e pelo que se nos apresenta, Pontes e Lacerda pode ficar tranquila. O peso político e a representatividade do atual prefeito é tanta junto ao Governo do Estado que ele dispensa a aglutinação de forças de vereadores e prefeitos da região para resolver os problemas do município.

O caso da saúde é tipico.

 

 


Comente

Santa Casa está se transformando em um simples Posto de Saúde, com todas as deficiências

Enviado em: 08 de novembro de 2017 21:08
Santa Casa está se transformando em um simples Posto de Saúde, com todas as deficiências

“Nada é tão ruim que não possa piorar”. Independente de quem seja a autoria da frase, ela se encaixa na atual situação em que vive o Hospital Vale do Guaporé, a Santa Casa.

A paralisação dos médicos especialistas na última sexta-feira suspendendo cirurgias e a falta de recursos vai gerando o efeito “cascata” e reduzindo o atendimento. Essa situação a cada dia vai se agravando e, se nada de concreto e permanente acontecer, o fechamento definitivo do Hospital é questão de tempo.

Hoje o atendimento se restringe ao Pronto Atendimento. Como se fosse um posto de saúde. A cada dia o Hospital reduz a capacidade de atender pacientes.

Raio-X e a emenda do deputado Wancley

A Santa Casa não tem mais disponível o aparelho de Raio-X, pois o equipamento é locado e está dentro do contrato do Estado.  O Município ainda não adquiriu novo aparelho, mesmo tendo dinheiro em conta, oriundo de emenda parlamentar do deputado Wancley, desde julho de 2016. Não compra porque não quer.

Sem exames de laboratório

Não está mais disponível o contrato com o Laboratório de Análises Clínicas. A partir de agora, será impossível a regulação de pacientes se houver necessidade de exames laboratoriais.

Segundo um funcionário, “se chegar um paciente com suspeita de infarto a Central de Regulação de Cáceres solicita exames para aceitarem a regulação. Como não temos mais esse serviço os médicos do PA não terão como encaminhá-lo ao Hospital Regional”. “Está faltando condições de trabalho e o risco à atividade dos médicos e à saúde dos pacientes é real”, pontuou.

Falta remédio e até esparadrapo

O cúmulo do absurdo se falando em saúde é o racionamento de medicação aos pacientes. Pois é isso que está acontecendo, pois o estoque está se esgotando. Falta medicamentos, soro, esparadrapo, equipo e antibióticos, entre outros não menos importantes.

A dura realidade

Por essas razões, não adianta o Hospital continuar atendendo de forma precária simplesmente para atender  à legislação de greve. Não adianta ter o médico para o primeiro atendimento se não tem o apoio de especialista, sem medicamento, equipamentos básicos, exames clínicos e aparelho de raio-x.

Origem do caos

O uso de parte dos recursos oriundos do governo do Estado para viabilizar o setor de Pronto Atendimento – cerca de R$ 120 mil mensais – e que deveria ser suportado pela Prefeitura de Pontes e Lacerda, afastou os prefeitos da região que não movem “uma palha” para defender  a Santa Casa. Não há mobilização das lideranças da região para que Pontes e Lacerda seja na realidade um polo regional de saúde.

Aduzido ao valor insuficiente repassado pela Prefeitura – da ordem de R$ 120 mil a menos por mês – a crise econômica de Mato Grosso tem levado o governo estadual a atrasar o  pagamento desde o mês de julho.

E ainda tem gente exigindo e reclamando do atendimento da Santa Casa. Fecham os olhos para a dura realidade da saúde em Pontes e Lacerda, em “estado terminal, sem uso de aparelhos”.


Comente

Dr. André Bringsken assume prefeitura de Vila Bela SS Trindade enquanto Wagner viaja com governador para a China

Enviado em: 08 de novembro de 2017 19:23
Dr. André Bringsken assume prefeitura de Vila Bela SS Trindade enquanto Wagner viaja com governador para a China

O vice-prefeito, Dr. André Bringsken(PMDB), assumiu na última segunda-feira (06) o comando da prefeitura  de Vila Bela da SS Trindade em solenidade na Câmara de Vereadores.

É a primeira vez neste mandato que o vice-prefeito assume, em decorrência da viagem do prefeito Wagner Silveira, que acompanha a comitiva o governo do Estado à China, desde o último dia três. O titular vai aproveitar a viagem para “vender” o município e suas potencialidades econômicas e turísticas aos investidores chineses.

Político experiente, Dr. André vai aproveitar o momento para fazer articulações políticas e contribuir com a administração municipal, não só na área de saúde da qual é especialista, como também no campo administrativo que domina pela experiência.

Vila Bela vive um clima político favorável entre suas lideranças. A relação de confiança que envolve as duas principais personalidades do município permite que o prefeito abra espaço para o vice assumir a prefeitura, mesmo que temporariamente.

Durante a sessão extraordinária de posse na Câmara, um vereador comentou em uma roda de políticos  que “o Dr. André se credencia a cada dia para liderar um grupo forte e coeso visando as próximas eleições municipais”. O outro retrucou, sorrindo: “antes de 2020 tem eleições ano que vem, com chances para deputado federal”. Um terceiro, matreiro, disse: “tem que trocar de partido”.


Comente

Conheça o relatório da CPI das Palmeiras que vai ser votado nesta quarta, dia 8

Enviado em: 07 de novembro de 2017 14:52
Conheça o relatório da CPI das Palmeiras que vai ser votado nesta quarta, dia 8

O relatório de apenas três paginas emitido com data de 25 de outubro deste ano,  a que a TV Centro Oeste teve acesso com absoluta exclusividade diz que a Comissão  notificou o Prefeito Alcino Barcellos que, por sua vez, apresentou a defesa dentro do prazo, alegando que “todos os atos por ele praticados estão em perfeita consonância com a legislação e os princípios constitucionais”. Foram anexadas fotos recentes das palmeiras, praticamente seis meses após o plantio. Nada foi colocado sobre as mudas que foram plantadas antes do processo de licitação e divulgado o plantio pelo próprio prefeito, em matéria de  telejornal local.

CPI que não investiga

Com apenas a resposta do prefeito, os membros se deram por satisfeitos para emitirem parecer e concluir os trabalhos de investigação a que foram designados. Pela conclusão, o relator e os outros dois vereadores não viram sequer  indícios de irregularidades.

CPI não viu ilicitude no processo de compra

O relatório, quando trata do mérito, diz que “diante uma análise criteriosa aos argumentos e documentos acostados aos autos” e mais a defesa do Prefeito, foi verificado que “o processo licitatório que resultou na compra das mudas está de acordo com o que dispõe a legislação, não deixando dúvida em relação a sua licitude”.

Argumentação dúbia

Com relação aos orçamentos e as denúncias de irregularidades, o relator se limitou a dizer que “foram apresentados, não causando assim nenhum prejuízo ao erário público”. Cita, entretanto, que se “não bastasse a divergência e fragilidade dos orçamentos acostados aos autos, destacamos também que as referidas empresas não poderiam participar do certame licitatório, pois se encontram em débito com a União”. Nesse caso, sabe-se que os únicos orçamentos que constam no dossiê da licitação são os das empresas participantes, do qual a TV Centro Oeste teve acesso.

Dessa maneira, a menos que o Relator esteja falando de orçamentos apresentados fora do processo de licitação, há uma enorme incoerência na argumentação.

Conclusão inconclusa

O relatório é evasivo do começo ao fim.

Mesmo destacando que o objeto da Comissão era o de apuração da denúncia de superfaturamento na aquisição das 240 palmeiras, não esclareceu e muito menos fundamentou porque a acusação contra o Prefeito não poderia prosperar.

A base para a investigação é o processo de compra e a aplicação dos recursos. Entretanto, as falhas flagrantes nos documentos, nos prazos e na tramitação que embasaram a aquisição das mudas ornamentais não foram detectados pela Comissão.  O relatório também se cala na denúncia de que palmeiras teriam sido plantadas antes de começar o processo licitatório.

No que tange ao rito legal, o relatório segue fielmente o que dispõe o artigo 5º da Lei 201/67. Impecável.

O conteúdo, entretanto, é uma peça eivada de inconsistências que não auxilia os vereadores a formular o voto de forma convicta e com segurança, podendo inclusive induzi-los a erro, e com todos os indícios de que o relator estava certo quando disse, na instauração da Comissão Processante, que apenas teria um desgaste político.

Favas contadas? CPI natimorta?

O plenário vai confirmar ou retificar o que Natalícia, Juninho e Rogério Lero Lero prepararam.

A votação será na sessão extraordinária desta quarta-feira, às 9 horas.


Comente

Santa Casa: Governo do Estado “banca” serviços de pronto atendimento em R$ 120 mil por mês, que é responsabilidade da Prefeitura

Enviado em: 07 de novembro de 2017 06:42
Santa Casa: Governo do Estado “banca” serviços de pronto atendimento em R$ 120 mil por mês, que é responsabilidade da Prefeitura

Os funcionários da Santa Casa estão decididos a suspender todo o atendimento daquele Hospital. Desde a semana passada os serviços de especialidades – incluindo cirurgias – não estão sendo realizados. Agora a decisão é parar o Pronto Atendimento, permanecendo apenas trinta por cento do efetivo trabalhando.

As críticas pelo momento vivido pela Santa Casa estão sendo atribuídas à Diretoria daquela Entidade que não estaria pressionando as autoridades na medida da gravidade da situação e na demora da busca de alternativas que aumentem a receita, como a implantação de local apropriado para atendimento a pacientes particulares e de planos de saúde.

Outro ponto questionado é até quando o Hospital vai usar parte dos recursos do Governo do Estado para “bancar ” o déficit dos custos do Pronto Atendimento”, que é de responsabilidade do governo municipal.

O diretor da Santa Casa divulgou no inicio do ano que precisaria de R$ 284 mil para atender o PA. A Prefeitura continuou pagando R$ 165 mil mensais. Para cobrir esse déficit de R$ 120 mil o Hospital usa parte dos recursos que o Governo do Estado manda para os serviços de baixa e média complexidade.

O prefeito Alcino Barcellos está repassando em dia  os R$ 165 mil devido pela Prefeitura, mas sabendo que deveria pagar R$ 284 mil.

Pelo lado do governo estadual, a Secretaria de Saúde ainda não transferiu à Prefeitura os meses de Julho, Agosto, setembro e Outubro.

O Conselho Municipal de Saúde, em reunião na semana passada, fez severas críticas ao atendimento no Hospital, atribuindo ” à falta de profissionalismo” dos funcionários e corpo clínico (leia aqui), mas nada comentou sobre as pendências financeiras, tanto do governo estadual quanto municipal.

O diretor do Hospital falou sobre essa diferença de valor pago pela Prefeitura, já denunciado pelo Governo do Estado e até pelo Consórcio Regional de Saúde e garantiu que vai insistir na atualização dos valores.

A Prefeitura de Pontes e Lacerda ainda deve ao Hospital o valor de R$ 400 mil referente ao terreno cedido para a construção do prédio onde está localizada a Unidade de Pronto Atendimento- UPA, inaugurado pelo ex-prefeito Donizete Barbosa.


Comente

Natalícia, Juninho e Rogério Lero Lero concluem relatório da CPI das Palmeiras e propõem arquivamento da denúncia

Enviado em: 06 de novembro de 2017 15:08
Natalícia, Juninho e Rogério Lero Lero concluem relatório da CPI das Palmeiras e propõem arquivamento da denúncia

Segundo fonte da Câmara de Vereadores, a Comissão Processante, que foi escolhida para investigar as irregularidades apontadas no processo da compra de 240 palmeiras por parte da Prefeitura, concluiu o relatório e não trouxe nenhuma novidade.

O relator da Comissão, vereador Juninho Cabeleireiro – assumidamente da base de apoio ao Prefeito – já tinha antecipado na data que seu nome foi sorteado para compor a CPI que o processo “ia dar em nada, somente desgaste político”. Ele, como tinha projetado, elaborou o relatório dando parecer pelo arquivamento da denúncia, tendo a concordância plena da vereadora Natalícia e de Rogério Lero Lero.

O processo transcorreu sob absoluto sigilo, ao contrário do que a presidente da Comissão tinha prometido, que daria transparência aos trabalhos.

Ainda segundo a mesma fonte, o resultado no plenário será amplamente favorável à aprovação do relatório. A projeção é de que no máximo três vereadores votem contra o arquivamento. “A pizza está pronta. Falta saber se será com borda de marmelada”, concluiu.

 


Comente

12 de December de 2017

Clear all