O segundo maior fabricante de alimentos à base de carne do Brasil e terceiro do mundo deve assumir no próximo dia 20 a planta frigorífica do Premiun Foods, em Pontes e Lacerda.

Esse local estava arrendado ao JBS até junho deste ano. Nesse período os proprietários prepararam as instalações e atualizaram a documentação na perspectiva de eles mesmos retomarem as atividades. Chegaram a informar a algumas lideranças do município de que estavam iniciando a fase de contratação de cerca de 400 servidores, entre os meses de agosto e setembro.

Notícias recentes, confirmadas pela direção do Premiun Foods, dão conta de que o arrendamento por parte do Marfrig já está firmado e que representantes da empresa já estão avaliando as instalações.

Com relação à reabertura do frigorífico, há informações de que o cronograma poderá ser inclusive acelerado, tendo em vista a tradição e o conhecimento do Marfrig nesse área.

 Momento favorável

O presidente do grupo, Martin Secco reabriu a planta frigorífica de Paranaíba (MS) no último dia 11 de setembro.

Naquela oportunidade Martins destacou o momento vivido pelo mercado do boi gordo, que atualmente está favorável, com boa oferta de animais e era disso que dependia a retomada das atividades. “Voltou a boa oferta de bois e cada dia vemos que está crescendo mais, um momento reverso ao que acontecia anteriormente”.

A estratégia de ampliação se deu “em função da maior disponibilidade de bovinos para abate no Brasil, decorrente do ciclo positivo de gado e maior retenção no primeiro semestre do ano, e do atual cenário macroeconômico”, disse a Marfrig em nota aos investidores.

O movimento ocorre após as delações da JBS, que criaram certa instabilidade no país, e também depois da política da JBS de comprar apenas com pagamento em 30 dias e não mais à vista como fazia em algumas regiões.