A pressão da diretoria da APAE e o sentimento de traição por parte de alguns vereadores – que votaram a redução do valor do convênio com aquela Entidade com base numa informação inverídica do Prefeito – fizeram Alcino Barcellos recuar em diminuir o valor repassado pela Prefeitura para a manutenção da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais -APAE, conforme divulgado com exclusividade por este Blog.

O valor contratado em 2017 era de R$ 397 mil, dividido em parcelas mensais. Barcellos reduzou inicialmente para R$ 357 mil através de projeto de lei aprovado pela Câmara. Agora prometeu rever para R$ 380 mil, ainda menos que no ano passado.

O prefeito voltou atrás, tendo que admitir que estava preparando um “presente de grego” para os alunos portadores de necessidades especiais e usando os vereadores para “participar” do desgaste político que a medida anti-popular acabou gerando.

De acordo com informações de um vereador, o que mais intriga é saber que não há previsão orçamentária (LOA e LDO) para 2018 de recursos para entidades sem fins lucrativos.  E mais, o prefeito não precisava mandar projeto de Lei para a Câmara. Poderia ter feito o mesmo sistema que fez com a Santa Casa, quando reajustou o valor para o Hospital de R$ 165 mil para R$ 200 mil, sem apreciação dos parlamentares.