O prefeito Alcino Barcellos deixou bem claro como lida com compromissos políticos que envolvem benefícios para o município que ele governa, ao encaminhar à Câmara um projeto de lei pedindo o cancelamento da rubrica que autorizava a Prefeitura a adquirir o aparelho de raio-X.

A novela

O caso do aparelho de raio-x começou ainda no mandato do ex-prefeito Donizete Barbosa, em 2016. Por iniciativa do vereador Ivanildo Amaral, o valor de uma emenda parlamentar do deputado Wancley foi dividido para aquisição de um ônibus para transporte de pacientes e do referido equipamento, com a contrapartida da Prefeitura.

No acordo entre o Legislativo, o Executivo e o autor da emenda, o aparelho seria destinado à Santa Casa. O valor de R$ 165 mil está disponível na conta da Prefeitura desde aquela época. Como está sendo atualizado pelo Banco, atualmente chega  a R$ 177 mil.

Cúmulo

Enquanto Alcino Barcellos não adquire o aparelho, a Santa Casa se obriga a pagar a locação de um similar, no valor mensal em torno de R$ 10 mil. Pelo tempo decorrido, é provável que o Hospital já tenha pago o valor de um raio-x novo, enquanto o dinheiro da emenda fica guardado no Banco.

Do alto do sublime trono

O prefeito de Pontes e Lacerda já vinha sinalizando que não compraria o aparelho de raio-x, fundamental para melhorar a qualidade do atendimento aos pacientes do SUS. Passivamente os parlamentares aguardavam uma mudança de postura de Barcellos e o cumprimento do acordo institucional entre os poderes Executivo e Legislativo.

Com o cancelamento da rubrica onde estava contabilizado o recurso para a compra do raio-X, Alcino dá mostras que quer mesmo o confronto com os parlamentares.

E que a saúde não é mesmo a prioridade deste (des)governo.

Sobre o assunto, o presidente da Câmara discursou hoje inquirindo “aonde fica o cumprimento do acordo? mais uma vez eu fico assustado. Não se cumpre o que fala, ou então nós estamos com os olhos vendados, não estamos enxergando nada”.