O ex-prefeito Donizete Barbosa deixou o mandato no final de 2016 sem realizar um sonho e sem deixar marcada a sua administração, que era implantar o distrito industrial de Pontes e Lacerda.

Para tanto Barbosa nomeou José Roberto Portero como secretário de Industria e Comércio que, durante dois anos, se dedicou exclusivamente a encontrar um local adequado, preparar toda a documentação legal e criar o ambiente político para viabilizar a implantação do distrito industrial.

Ao deixar o governo municipal, Donizete deixou o projeto do distrito na seguinte situação:

– escolheu a área mais adequada quanto a localização, sem precisar gastar com aquisição. O imóvel é de propriedade do governo do Estado e basta cer cedido para a finalidade proposta, sem custo financeiro;

– elaborou  a planta de localização e definiu também a quantidade de lotes e o arruamento. Seriam cerca de 130 lotes de 5 mil m² cada, com ruas apropriadas para carretas bi-trem, todos com energia elétrica e infraestrutura;

– Obteve a licença-prévia dos órgãos do meio-ambiente autorizando a implantação do distrito industrial, com algumas orientações sobre a preservação;

– deixou pendente apenas a assinatura na Carta de Intenção do Governo de Mato Grosso consentindo com a cessão do imóvel, já sinalizado positivamente pelo governador Pedro Taques.

Prefeito “melou” o distrito

Bastou o prefeito Alcino Barcellos assumir para “sentar em cima” do projeto. Segundo um de seus assessores mais próximos, ele não admite que outros – que não seja ele e exclusivamente ele – tenham ideias e iniciativas que representem ganhos para Pontes e Lacerda. Mesmo obtendo apoio do ex-prefeito e de ter mantido praticamente todo o secretariado do mandato anterior, Barcellos sequer titubeou em vetar a continuação do projeto que foi a “menina dos olhos” de Donizete Barbosa.

Governador autorizou implantar o distrito

A menos de trinta dias, ao tomar conhecimento da necessidade e importância do distrito industrial para Pontes e Lacerda e de posse de todos os documentos que compõem o processo, o deputado estadual Dr. Leonardo Albuquerque fez a indicação ao governador através da Assembléia Legislativa. Conseguiu também audiência especial com Pedro Taques para tratar especificamente do caso. Com o “sinal verde” do governador para dar prosseguimento ao projeto, Leonardo correu para dar a boa notícia ao prefeito de Pontes e Lacerda.

Alcino simplesmente disse que não tem interesse.

Assim, a implantação do distrito industrial de Pontes e Lacerda voltou à “estaca zero”.

Pelo jeito valem mais as preferencias do prefeito do que os interesses de Pontes e Lacerda.