A liberação dos saques do PIS/Pasep deu um fôlego à economia em julho: a produção industrial aumentou com a expectativa da volta do consumo das famílias. Indicadores econômicos divulgados quarta-feira, 22, apontam para uma retomada da economia depois do choque provocado pela greve dos caminhoneiros.

 A sustentabilidade do crescimento, no entanto, é questionada pelos economistas por causa das incertezas do cenário eleitoral.

Entre as divulgações que foram feitas na quarta, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) informou que o setor teve o melhor julho em quatro anos.

 O Ministério do Trabalho anunciou a criação de 47 mil empregos com carteira assinada no mês passado no País, no melhor desempenho para julho em seis anos. Também houve tímida melhora nos indicadores de vendas no varejo e os consumidores já se mostram mais propensos às compras neste mês, segundo a Confederação Nacional do Comércio (CNC).

O governo começou a ampliar os saques do fundo do PIS/Pasep no ano passado, com a intenção de injetar recursos na economia. Até 2017, o resgate só era permitido em casos de aposentadoria, de algumas doenças ou a partir dos 70 anos. A primeira medida permitiu o saque a mulheres com mais de 62 anos e homens com mais de 65. Depois, o limite caiu para 60 anos.

 Agora, o governo abriu uma janela, que vai até 28 de setembro, estendendo o benefício a cotistas de todas as idades, que trabalharam entre 1971 e 1988.

Fonte/gazeta digital