A audiência Pública sobre segurança pública que aconteceu na última quinta-feira (13/09) reuniu responsáveis pelos principais órgãos que tratam da segurança do cidadão, representantes de entidades civis e de poucas lideranças políticas.

A ausência do prefeito municipal já era esperada – ele se fez representar pelo procurador-geral do Município – e os poucos vereadores presentes dão o tom da importância que a segurança pública tem para eles. Compareceram o presidente Pedro da Pecuária, Ivanildo Amaral – idealizador do evento -, Maxsuel Guimarães e Anderson Barbosa.

Um dos assuntos abordados foi a presença de “flanelinhas” na Praça Miguel Gajardoni, denunciada desde outubro do ano passado pela TV Centro Oeste, e sem qualquer iniciativa de retirá-los daquele local.

Todas as autoridades que falaram sobre o caso foram unânimes em citar a falta de ação da Secretaria de Assistência Social, que deveria conduzir o processo de encaminhamento dos flanelinhas para seus familiares ou, se for o caso, para tratamento contra alcoolismo e drogas.

A Administração Municipal não possui secretário de assistência social e, mesmo sabendo do problema há um ano, não toma qualquer iniciativa para buscar uma solução.

A Polícia Militar só pode intervir quando chamada para atender uma ocorrência em flagrante. Muitos motoristas se sentem intimidados e preferem se submeter ao constrangimento e as ameaças dos flanelinhas.

Já a maioria dos vereadores,  que deveria fiscalizar e cobrar uma ação do Executivo, sequer comparece à audiência pública promovida por um dos seus pares. Eles preferem usar a tribuna, uma vez por semana.

E dá-lhe discurso.