A Polícia Judiciária Civil apresentou esta semana, um balanço das ocorrências do ano. Os registros de maior número são de casos de agressão física que em algumas situações são de Maria da Penha e os de roubo.

Cerca de 180 ocorrências de roubos foram registradas na Delegacia de Pontes e Lacerda somente esse ano. Contando com roubos de veículos e residências. Um número que realmente chama atenção. ” É um crime que incomoda muito a população e é tratado com prioridade pela Secretaria de Segurança Publica e pelos policiais desta delegacia. A gente identificou dois períodos de pico de incidência de roubo, que é na cidade e na zona rural. Cito também um terceiro momento que é mais recente com relação a roubos de celular na rua, mas o policiais conseguiram debelar esta quadrilha e voltou a paz na cidade”, ressaltou Carlos Bock, delegado titular em Pontes e Lacerda.

Outra ocorrência de bastante relevância são os casos de Maria da penha, 2017 teve 326 registros, destes foram instaurados 161 inquéritos. Na maioria das vezes, a vítima prefere não procurar ajuda, por medo ou por pensar que não conseguirá resolver o problema. A delegacia acredita que por esse motivo os números não são ainda maiores.

Segundo o delegado, os crimes que envolvem menores é uma problemática em Pontes e Lacerda. ” A gente sempre identifica, principalmente nos crimes de roubo a participação de menores adolescentes juntos com os maiores, e também nos crimes de tráfico de droga. Infelizmente alguns adolescentes sendo levados para este caminho perdido. Este ano a gente teve 57 registros de menores cometendo atos infracionais.

Para que os trabalhos sejam realizados com precisão e agilidade, o delegado enfatiza que as vítimas devem registrar um boletim de ocorrência. Assim, com as características do crime, a resolutividade se torna ainda mais próxima.