A informação de que o CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) de Pontes e Lacerda está sem médico há quatro meses chegou à TV Centro Oeste neste final de semana.

Embora os servidores evitem falar no assunto, temendo represálias, desde que a Dra. Terezinha Cunha se afastou  o CAPS está sem médico para atender os pacientes.

A situação se torna mais grave porque a ausência do profissional médico impossibilita a prescrição de medicamentos controlados, agravado pela falta de remédios que são específicos para os que são atendidos no CAPS.

A Prefeitura teve tempo suficiente para planejar a substituição do médico especialista.

Os vereadores já tomaram conhecimento desse assunto. Não se tem conhecimento se a Comissão de Saúde da Câmara, composta pelos vereadores Anderson Barbosa, Márcia Ponte e Dra. Terezinha,  tomou qualquer iniciativa para resolver ou cobrar do Executivo uma solução. O assunto pode ser debatido na sessão desta segunda-feira.