A Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso encaminhou cerca de 60 policiais civis e militares para apoiarem a desocupação da Serra do Caldeirão onde desde 2015 se tornou uma área de garimpo ilegal. Os policiais, que são de grupos especializados das duas polícias estadual, estão preparados para qualquer eventualidade que possa acontecer antes, durante e depois da desocupação.

As ações já começaram nesta segunda-feira (24.04) com barreiras fixas para impedir que qualquer pessoa entre na área de garimpagem. A saída do garimpo está liberada e quem estiver no local pode deixar a área, de acordo com com o comandante Regional da Polícia Militar, Tenente-Coronel Chaves. “As pessoas que quiserem se deslocar da serra, pode. Nossa preocupação nesse momento é fazer com que ninguém mais entre no garimpo.”

A garimpagem ilegal voltou a ter reflexos negativos para a cidade, novamente, e por isso a nova desocupação sem o apoio do Governo Federal, já que a área é de interesse de União. “A gente não pode ficar a mercê dos reflexos da ocupação, então a gente pensando em segurança pública e no bem-estar da população.”

Segundo o Comandante, o serviço de inteligência, que nunca parou de monitorar a área, verificou que o garimpo ficou tranquilo por um tempo, mas houve a entrada de muitas armas de fogo, consumo de entorpecente e o aumento da degradação ambiental e por isso o Estado vai agir outra vez.

A data de entrada da Polícia na área de garimpagem e a desocupação ainda não foram informadas. De acordo com o Comandante regional a ordem vem da Secretaria de Segurança Pública e pode ser a qualquer momento.