O Secretário de Infraestrutura e Logística de Mato Grosso, Marcelo de Oliveira, mais conhecido como Marcelo Padeiro, deve ser apeado do cargo antes que torne ácida a relação do governo Mauro Mendes (DEM) e Otaviano Pivetta (PDT) com prefeitos, dirigentes de associações de produtores rurais, vereadores e deputados estaduais.

Os servidores de carreira da Sinfra estão até o talo com Padeiro. Ninguém suporta as grosserias, indelicadezas e ofensas do sempre ranzinza e mal-humorado monarca da infraestrutura e logística do governo do estado.

Sem a colaboração dos concursados, a secretaria empacou, patina, não sai do lugar e não consegue realizar uma única licitação. Enquanto o rei da soberba se acha o dono da verdade e de todos os conhecimentos, a malha viária do estado se deteriora, a buraqueira causa danos materiais, vitimizam pessoas e entopem os hospitais com sequelados nas rodovias intransitáveis.

Reivindicação ou reclamar da situação lastimável de alguma estrada é o mesmo que cutucar onça com vara curta. Invariavelmente, Marcelo Padeiro rege com uma quente e outra fervendo. Xingar prefeitos, ofender e maltratar representantes de associações de produtores rurais parece ser o esporte favorito de Padeiro.

As Parcerias Público Privadas (PPP) firmadas pelo governo do estado com associações de beneficiários de rodovias estaduais permanecem no papel. As obras não são licitadas. Nada acontece. E não é por falta dinheiro. Os recursos do Fethab estão parados na conta da Sinfra. A retomada das obras iniciadas no governo Pedro Taques já estão sendo paralisadas novamente por falta de pagamento.

O pacote de obras de recuperação de rodovias lançado pelo governador Mauro Mendes virou fumaça por falta de gestão. As operações tapa-buraco estão em ritmo lento e os serviços executados são de péssima qualidade.

O minguado dinheiro do contribuinte está sendo consumido pelo sugadouro da incompetência administrativa, que é tão nociva a sociedade quanto a corrupção.

Uma fonte, ouvida sob a condição de anonimato, afirmou que Marcelo Padeiro perdeu as condições objetivas para continuar no comando da Sinfra. Não sem motivo, prefeitos, produtores rurais e prestadores de serviço ao estado devem pedir a substituição de Padeiro por alguém da área, que tenha traquejo para exercer o cargo e saiba dialogar e respeitar as lideranças políticas e empresariais.

A Sinfra, antes frequentada por gente dos quatro cantos do estado, é hoje uma secretaria acéfala, abandonada. Atores sociais e políticos temem entrar no gabinete de Padeiro e sofrer constrangimento moral. Ele já ofendeu muita gente.

De acordo com informações de bastidores, até o vice Otaviano Pivetta estaria mantendo distância da Sinfra. Em sendo verdade, o governador Mauro Mendes precisa agir de imediato. Pivetta representa a interiorização do governo.

É um vice que faz por Mato Grosso.

Ele dialoga com prefeitos, vereadores, lideranças comunitárias e articula parcerias com produtores rurais para garantir a malha viária em condições de trafegabilidade.

Sem Pivetta na coordenação da política de infraestrutura e de logística, o estado não sai do atoleiro.

Fonte: A Bronca Popular