A fim de apurar as causas do acidente que matou cinco pessoas e deixou outras duas feridas na rodovia MT-10 no último sábado (6), a Polícia Civil começou a ouvir depoimentos de testemunhas. As investigações são presididas pelo delegado Francisco Kunzi, que substitui o titular da Delegacia Especializada de Delitos de Trânsito (Deletran). Por meio da assessoria de imprensa ele afirmou que todas as medidas necessárias já estão sendo tomadas pelos investigadores.

Vítima de acidente que tirou a vida de cinco pessoas havia pego carona com criança de dois anos no colo

Foi informado ainda que o responsável pela colisão, que envolveu três veículos, só será apontado ao final da apuração. Os laudos da Perícia Oficial de Identificação Técnica (Politec) também são aguardados pelos profissionais. O inquérito tem prazo oficial de 30 dias para ser finalizado, podendo ser prorrogado.

Os corpos de Simone Santana Souza Silva e Lílian Aires de Oliveira foram enterrados nesta terça-feira (9). Além delas, morreram no acidente o motorista do Uno no qual estavam, Jefferson Átila, e duas passageiras de um Toyota modelo Etios, as amigas Dayane de Freitas, 31, e Maisa Silva do Amaral, 29. Seus maridos, Marcos Antônio Dias, de 32 anos e Thiago Sturnick Nascimento, 31, estão internados em observação no Hospital Santa Rosa e não apresentam risco de morte.

A filha de Dayane e Marcos, que também estava no carro, não sofreu nenhum ferimento e se encontra aos cuidados dos avós. Os três sobreviventes ficaram presos às ferragens, sendo resgatados pelo Corpo de Bombeiros. Na ocasião foi informado ainda que, uma das mulheres morreu na hora e que a outra chegou a ser retirada do veiculo, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu durante o atendimento dos profissionais do Samu.

O acidente aconteceu no final da tarde de sábado (6), na rodovia mais conhecida como Estrada da Guia, que liga a Capital ao distrito de Nossa Senhora da Guia. Um automóvel modelo Grand Siena também se envolveu na colisão, no entanto nenhuma das duas pessoas que nele estavam sofreram ferimentos. A situação é investigada agora pela Delegacia Especializada em Delitos de Trânsito (Deletran).

Fonte: André Garcia Santana/ Olhar Direto