Uma denúncia chegou na manhã desta segunda-feira (27) na Câmara de Vereadores, de que o hospital Santa Casa está sem estoque de alimentos. Uma comitiva formada por três vereadores dentre eles Maxsuel Guimarães foi “in loco” verificar a veracidade.

Os parlamentares chegaram na unidade hospitalar por volta das 15 horas desta segunda-feira, e foram recebidos pelo captador de recursos Nenê Crivellaro – criador do projeto “Santa Casa abrindo as portas para ser cuidada”. Ao chegarem na cozinha a situação foi confirmada. A dispensa está vazia, são pouco mais de 10 quilos de feijão, 05 quilos de sal e alguns quilos de macarrão.  O que não é suficiente para manter o hospital sequer por um dia.

Sabemos que uma empresa de Pontes e Lacerda no seguimento de moveis e eletrodoméstico, realiza todo o ano uma campanha de arrecadação de alimentos. E no mês de julho essa campanha foi um sucesso e doou toneladas de alimento para aquela unidade de saúde. Segundo informações os alimentos abasteceriam o hospital por 6 a 7 meses.  Mas pouco mais de quatro meses a dispensa está praticamente vazia. Se o hospital voltar atender nos próximos dias não haverá alimento para pacientes e os funcionários.

O vereador Masxuel Guimarães ao receber a denúncia se preocupou, porque além da falta de atendimento, o hospital está sem mantimentos básicos como arroz e o feijão. “Queremos saber de fato o que aconteceu com as toneladas de alimentos arrecadados e repassados ao hospital, sabemos que a demanda é grande de pacientes, e esperamos uma resposta da diretoria do hospital. Abraçamos a causa do hospital seja nas campanhas ou na luta para o pagamento dos salários. E esperamos que de fato os alimentos foram consumidos. Não viemos aqui para colocar em cheque a dignidade de ninguém, mas de fazer o nosso papel de fiscalizar.” Destacou o vereador.

Segundo os parlamentares que participaram da visita, a Câmara de Vereadores vai requerer da direção da Santa Casa que se manifeste sobre o caso. Na semana passada uma funcionária do hospital usou as redes sociais para expor que eles estão trabalhando sem se alimentar e, para não passar fome durante os plantões, tem que trazer comida de casa.