A Secretaria de Cultura de Pontes e Lacerda não existe. Uma coordenadoria vinculada à pasta da Educação dá a dimensão que os aspectos culturais tem para a atual administração.

E foi assim desde a posse. Desde o primeiro dia de 2017 a população não tem qualquer evento promovido pelo poder público municipal. À exceção do patrocínio da etapa estadual de Motocross – para beneficiar um vereador – e que está sob investigação do Ministério Público – os principais eventos que estão no calendário municipal, de iniciativa ou de participação da Prefeitura foram cancelados. Sob os argumentos mais estapafúrdios.

Se falar sobre civismo, então, o aspecto cultural e patriótico só tem piorado. No ano passado ainda tivemos o desfile do Dia da Pátria, principal data cívica do brasileiro, que comemora a independência do jugo de Portugal.

Este ano a cidade não comemorou o aniversário de emancipação. Sequer uma missa ou culto foi realizado para esse fim.

Agora, sabe-se do cancelamento do desfile de 7 de setembro. As escolas particulares e estaduais estão prontas, algumas até com fanfarras que estão há meses ensaiando.

Pontes e Lacerda será um dos poucos municípios do Brasil que deixará de fazer a festa cívica do dia da Independência. Por absoluta falta de planejamento.

Mesmo sem as escolas municipais devido à justa greve, se a Secretaria de Educação quiser, poderíamos ter desfile das forças de segurança – Polícia Militar, Gefron, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Politec – e das escolas estaduais e particulares, entidades representativas da sociedade e outros.

Mas o prefeito vai arrumar uma justificativa para a falta de planejamento. É provável que use a greve dos profissionais da educação para esconder a incompetência.

O jocoso desse episódio é receber a informação de que o secretário municipal de Educação teria explicado que “arrumaria outra data” para o desfile. Vamos comemorar a Independência do Brasil no dia da Proclamação da República ou no Natal, quem sabe.

Não duvide nada dessa Administração. Parafraseando um velho ditado: “Cabeça de Alcino, fralda de bebê e urna reservam sempre uma surpresa. Nem sempre agradável”.