Na manhã desta terça-feira (21/02), a diretoria estadual da Politec (Perícia Oficial e Identificação Técnica), esteve em Pontes e Lacerda. Objetivo foi visitar a unidade e levantar as principais demandas.

A diretoria está, desde o ano passado, visitando todas as cinco regionais no estado. Os chefes das unidades passam as principais necessidades que são analisadas pela diretoria.

Segundo Reginaldo Rossi do Carmo, Diretor Geral da Politec, outro assunto em pauta na visita é criar parcerias entre os órgãos de segurança do município, prefeitura e Ministério público.

Exemplo deste tipo de parceria está à reforma do prédio da unidade de Pontes e Lacerda. Os recursos vieram por intermédio do Conselho Comunitário de Segurança Pública (Conseg), madeiras apreendidas pelas policias foram vendidas e o dinheiro foi investido em melhorias.

A visita foi acompanhada pelo promotor de justiça, Frederico Ribeiro, que também viu de perto as melhorias proporcionadas com a reforma do prédio. “Apresentamos os problemas estruturais, aquilo que nós temos que ressaltar, mas sempre de forma construtiva. Como eu gosto sempre de ressaltar – quando há união entres os órgãos e especialmente com a sociedade, nós conseguimos dar uma resposta mais efetivo no combate à criminalidade – e a Politec é uma órgão extremamente parceiro, quanto melhor os laudos que nós temos, melhor será o trabalho do delegado do promotor de justiça e do juiz pra dar uma resposta efetiva à sociedade” destacou o promotor.

O município não possui um Instituto Médico Legal. As pericias em corpos são realizadas ou cemitério, ou são encaminhados para Cáceres. “Há um planejamento da Politec, há uma discussão em andamento. Sabemos que a construção de um IML demanda alguns investimentos e nós estamos discutindo, buscando parcerias. Inclusive quando falo de parceria é no sentido de buscar recursos para poder construir IML aqui. Nós temos o atendimento já da medicina legal, nós temos aqui médicos legistas, também temos atendimento da criminalística e temos atendimento da identificação. Nós precisamos melhorar a estrutura pra poder fazer, por exemplo, todo trabalho de necropsia aqui na região”, afirmou o diretor geral da Politec.