Em busca de mais transparência e lisura no processo eleitoral, o Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE/MT) lançou, no pleito de 2016, o aplicativo Caixa 1, criado para ser um captador de informações relativas aos gastos de campanha dos candidatos (que neste ano serão cerca de 500) e verificar se as prestações de contas estão dentro da realidade, ou seja, combater o caixa dois.

Naquele ano, cerca de 200 informações foram fornecidas pelos cidadãos, mas a equipe técnica não teve condições de fazer os relatórios em tempo real, diferentemente do que se pretende neste ano, quando a Justiça eleitoral passou a fazer parte da rede de controle e aumentou sua gama de parcerias, o que vai possibilitar a cessão de mais profissionais envolvidos no trabalho de fiscalização.

Ele ressalta que nem tudo será aproveitado, caso seja detectada informação inverídica, mas que o eleitor poderá inserir fotos e vídeos que mostrem como os candidatos estão gastando, por exemplo, com cabos eleitorais, veículos e combustível, material gráfico, entre outros. Isso será filtrado e, poderá ser motivo de questionamento por parte do Ministério Público Eleitoral junto ao político.

Isso vai ocorrer por meio do cruzamento de dados oficiais de órgãos, como Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), Cadastro Único, e-Social, Polícia Federal, Receita Federal, Renavam, tribunais de contas do Estado e da União, bancos, entre outros, com os dados fornecidos pelos candidatos, seus prestadores de serviços e informações levadas pela população, por meio do aplicativo, que pode ser baixado em aparelhos do sistema Android.

Neste ano, os candidatos terão que prestar contas à Justiça eleitoral de tudo o que foi arrecadado e gasto em suas campanhas a cada 72 horas. E essas informações serão disponibilizadas a toda a população pelo site do TRE ou pelo aplicativo.

Na ferramenta, o eleitor ficará informado sobre os valores relativos aos limites de gastos para todos os cargos disputados (presidente, governador, senador, deputado federal e estadual), ter acesso aos gastos dos candidatos da eleição passada e às listas de bens dos políticos e ainda receber e informar dados sobre os gastos dos atuais candidatos. Esta última opção disponível a partir do dia 15 de agosto, quando começa a propaganda eleitoral.

Fonte/Gazeta digital