A menos de trinta dias das eleições, o cenário eleitoral para manter pelo menos um dos representantes de Pontes e Lacerda na Assembleia Legislativa continua indefinido. Principalmente para aqueles que precisam ingressar no mercado de trabalho ou dependem da recuperação da economia para voltar a ter uma oportunidade para empreender.

Os candidatos a nossos representantes no Legislativo estadual ainda não tornaram público as propostas para que o Vale do Guaporé volte a crescer, como gerar emprego e renda, o que fazer para diversificar nossa economia, pelo menos aos níveis das demais regiões do Estado. Os discursos ainda estão na concretização de sonhos, devaneios políticos, propostas insossas que não animam eleitores, principalmente daqueles que dependem das ações do Poder Público.

Não é sem motivo que grande parte do eleitorado continua descrente e considera seriamente a possibilidade de não termos um deputado estadual.

Os analistas políticos dizem que teremos em torno de 22 mil votos válidos no dia sete de outubro. Assim sendo, a persistir os índices das eleições anteriores, metade dos eleitores de Pontes e Lacerda votarão em candidatos de fora.

Nessa esteira, restarão onze mil votos para os candidatos “da casa”. Como o “bolo” não é suficiente para todos, quem não conseguir dois terços dos votos fora do município, está fora.

A conta é simples: dificilmente alguém será eleito com menos de 16 mil votos, dependendo da coligação, evidentemente. Tem candidato que mesmo tendo 25 mil votos corre risco de não se eleger.

A saída, mesmo com vereadores trabalhando contra

A população de Pontes e Lacerda deve buscar o próximo deputado estadual sem a ajuda dos políticos. A maioria deles já está comprometida com candidatos “de fora”. Basta ver os veículos de alguns vereadores e vereadoras que estão adesivados em apoio a candidatos que nada tem a ver com o município.

Dessa maneira, os candidatos precisarão “encantar os eleitores” com argumentos e promessas factíveis e que representem as prioridades e os anseios da população.

O mais qualificado e que se sobressair, deverá merecer o voto útil dos eleitores de Pontes e Lacerda.

Aí sim, será possível elegermos nosso deputado estadual.