A Polícia Civil deflagrou na manhã de hoje (08/04), uma operação que investiga crimes praticados por policiais, sendo 03 policiais civis e um policial militar. A investigação teve início no ano passado, quando chegou ao conhecimento da Delegacia Regional que encaminhou o caso a Corregedoria da Polícia Civil, dando conta que os policiais estavam associados para prática de crimes de tráfico de drogas, peculato, corrupção e associação criminosa.

Segundo a denúncia, no final do mês de março de 2018 ao tomar conhecimento sobre suposto transporte de droga, 02 policiais civis e o policial militar abordaram um grupo de traficantes com grande quantidade de droga, que não fora apresentada a Autoridade Policial, exigindo-se o pagamento de R$ 300.000,00 (trezentos mil reais), cujo valor não fora pago em dinheiro, mas sim em peças de droga (pasta base de cocaína), aproximadamente 30, vendidas pelos policiais, cujo valor fora devidamente rateado entre eles.

Dias depois, já no mês de abril, realizaram a abordagem de outro grupo de traficantes, ocasião em que fora apresentada na Delegacia de Polícia, apenas 294 peças de pasta base de cocaína, quando na verdade eram transportadas aproximadamente 330 peças de pasta base de cocaína. Após a abordagem, apreensão da droga e prisão dos 03 (três) traficantes, somente 294 peças da droga foram apresentadas a Autoridade Policial, sendo apropriada aproximadamente 40 (quarenta) peças de pasta base de cocaína.

Dias depois, mais um possível “acerto” entre os policiais e o traficante J. B, (Jefinho) seria realizado, quando ele foi executado com disparos de espingarda.

Diante das provas colhidas, representou-se pelas prisões preventivas dos policiais civis D. R. A. dos S, J. P. R, T. de C. A, e o policial militar R. A. de O, além do cumprimento de 11 (onze) mandados de busca e apreensão nas cidades de Várzea Grande, Cáceres, Vila Bela da Santíssima Trindade e Campos de Júlio.

As prisões dos policiais civis foram realizadas pela Corregedoria da Polícia Civil com apoio da Defron, Canilfron, GOE, GCCO, DRE, POLINTER, DEFAZ, Delegacia Regional e Municipal de Pontes e Lacerda, além do apoio do Comando Geral e Corregedoria da PM para prisão do Soldado da PM.