A delegada Carla Evangelista, de Mirassol D’Oeste, pediu a prisão temporária da filha e do genro do idoso Toshio Ono (77 anos), que morreu no incêndio de sua residência no dia 26 de junho. A Polícia Judiciária Civil (PJC) cumpriu o mandado de prisão temporária contra os dois, na tarde de quinta-feira (22).

As investigações começaram pouco depois do incêndio e do idoso ser encontrado carbonizado. A perícia levantou as primeiras análises do local e coletou de informações com testemunhas e familiares. A partir daí a delegada resolveu pedir a prisão temporária do casal.

De acordo com a delegada, a prisão temporária se justifica em razão de possível fuga dos suspeitos ou possível obstrução na investigação criminal – o que não é sinônimo de culpa definitiva.

Ainda de acordo com a delegada, foi montado uma linha de investigação após as coletas das informações. “A nossa investigação nos leva a acreditar que não houve apenas um incêndio acidental e sim um crime por trás dessa morte do idoso. Por conta disso pedimos a prisão temporária do casal”, afirmou a delegada em entrevista ao Cáceres Notícias.

As investigações prosseguem em busca da elucidação do crime. Ainda são aguardados os laudos periciais que foram solicitados, além do DNA do corpo do idoso que estava carbonizado.

“Não podemos dizer que eles são culpados, porém, com base nos elementos de prova colhidos até agora, a Polícia Judiciária Civil de Mirassol D’Oeste achou por bem pedir o cerceamento da liberdade dos investigados”, finalizou a delegada.

Relembre o caso

Um homem idoso, de 77 anos, morreu carbonizado na madrugada deste sábado (5) em Mirassol D’Oeste. A casa onde ele morava pegou fogo por volta das duas horas da manhã. Familiares identificaram a vítima como Toshio Ono de 77 anos, que morava na residência em frente à casa da sua filha.

Os policiais militares que realizavam rondas pela Avenida Tancredo Neves avistaram uma grande nuvem de fumaça, a guarnição resolveu checar o local e encontrou a residência em chamas.

Em meio ao fogo que tomava conta da residência duas pessoas tentavam sair do local, porém as labaredas eram muito fortes.

Segundo os policiais o incêndio tomou conta de todo do local, e as vítimas tiveram que ser socorridas, todavia o idoso não foi possível o socorro pois a residência estava tomada pelo fogo, foram acionados a Secretaria de Obra do município e também da usina COOPERB para providenciarem caminhão pipa para conter as chamas, todavia o idoso não pode ser salvo.

Os familiares em estado de choque informaram que estavam dormindo em uma casa nos fundos no mesmo quintal, e que quando percebeu fogo já estava alastrado, tentaram salvar alguns pertences, porém o incêndio muito avançado e não conseguiram retirar nada da casa.

Ainda de acordo com os familiares disseram que não sabia que a vítima que morreu carbonizada estava dentro da casa, pois ele acostumava dormir na casa de parentes.

Os policiais e um dos familiares tentaram buscar informações na casa de alguns familiares onde a vítima acostumava pernoitar e não o encontrou. Após o fogo ser controlado pelas equipes de combate a incêndio, que usaram três caminhões pipa, sendo dois da usina e um da secretaria de obras do município, a vítima foi localizada parcialmente carbonizado em meio aos escombros.

Os policiais acionaram a Perícia Técnica Oficial (POLITEC) e o Instituto Médico Legal (IML) de Cáceres que realizaram a retirada do corpo e realizaram as primeiras coletas de provas para ver a causa que tenha provocado do incêndio.

Devido ao corpo da vítima estar carbonizado e sem poder realizar a identificação, pois as mãos não tinham mais as digitais e ele também não tinha mais dentes devido à idade, então essa análise é feita pelo exame de DNA é feita pela Politec em Cuiabá e a depender da fila de espera que tiver lá demora um pouco, afirmou o investigador da cidade, André Luiz Silveira.

A Polícia Judiciária Civil de Mirassol D’Oeste investiga o caso, mas ainda não se sabe o que pode ter causado o incêndio.

“Uma casa totalmente em chamas, o portão trancado e 03 pessoas presas, apenas alguns segundos pra invocar a proteção de Deus e salvar o máximo possível de vidas, mesmo correndo risco de perder a sua própria”, afirmaram os policiais do 17º Batalhão em agradecimento a Deus pela oportunidade de ter resgatado duas vítimas e lamentam a morte do idoso.

 

Cáceres Notícias