O governador Pedro Taques (PSDB) classificou como “legítima” a decisão do vice-governador Carlos Fávaro (PSD) de protocolar, na Assembleia Legislativa, seu pedido de renúncia ao cargo para disputar o Senado nas eleições deste ano.

Ele disse que já havia conversado com Fávaro, na semana passada, sobre essa possibilidade.

“Nós já havíamos conversado na semana passada sobre essa possibilidade. Quero expressar meu respeito ao Carlos Fávaro, mas ele quer procurar o caminho dele ao Senado e acha melhor estar fora para se dedicar. O que é absolutamente legítimo”, afirmou na manhã desta quinta-feira (05).

Segundo Taques, a decisão é natural e tem sido seguida em outros Estados por vices e até governadores que buscam disputar novos cargos.

“Temos que respeitar essa decisão do vice-governador Carlos Fávaro. Ex-vice-governador, porque ele já protocolou seu pedido de renúncia, que é normal. Outros vices, que querem disputar outros cargos, estão fazendo isso, assim como outros governadores. Eu estou focado desde cedo. Fiquei agora quatro horas sentado, trabalhando pelo Estado e vou continuar fazendo isso”, disse. O governador, no entanto, não deu exemplos de Estados onde houve renúncias.

O governador negou que a saída de Fávaro vá dificultar a administração e também negou que a saída do vice foi por “quebra de confiança” entre ambos.

“Nem um pouco. Quero expressar meu respeito e agradecê-lo por esse período que ajudou a administrar Mato Grosso”, resumiu.

Perdendo aliados

Taques evitou falar em perda de aliados. Afirmou, apenas, que quanto mais candidatos nas eleições melhor.

“Liberdade é a escolha de seu destino. Cada um escolhe seu destino. E eu recomendo que tenhamos vários candidatos ao Governo. Isso é muito bom para a democracia, para o debate. Isso é fantástico”, completou.

Fonte: MidiaNews