A situação do Hospital Vale do Guaporé (SANTA CASA), em Pontes e Lacerda, continua da mesma forma, paralisada, e sem previsão para retornar aos trabalhos. Os exames nas áreas de especialidades foram suspensos na semana passada, os médicos decidiram para o atendimento por falta de pagamento e principalmente por falta de pelo menos uma previsão por parte do governo do estado, de quando seria sanado o problema.

Com os enfermeiros(a) também não foi diferente, estão trabalhando com 30% do efetivo como determina a lei, até for resolvido o pagamento dos salários atrasados.

Mas uma “injeção” de animo deixou os colaboradores, servidores da saúde, os representantes políticos e principalmente a comunidade esperançosa.  A bancada de Mato Grosso no Congresso Nacional anunciou a destinação de R$ 100 milhões à Saúde no Estado. Para garantir a aplicação dos recursos, os deputados federais e senadores inseriram a destinação na parte de emendas impositivas, que tem a execução obrigatória.

A bancada apresentou as emendas de execução obrigatória, num total de R$ 168 milhões, sendo que destes, R$ 100 milhões serão para a Saúde e outros R$ 68 milhões para projetos de regularização fundiária.

Hoje pela manhã a diretoria do Hospital Vale do Guaporé realizou uma reunião para falar dos caminhos a seguir, para viabilizar o mais rápido possível o problema. E o que foi levantado pela equipe do TVCENTROOESTE.COM.BR, é que estão esperando o diretor do Consorcio Regional de Saúde Alcino Barcelos, convocar uma reunião com os prefeitos que integram o consorcio, para fortalecer ainda mais essa luta em prol da saúde. Em quanto o Governador Pedro Taques, não chega da china, um dos países mais bem desenvolvidos no mundo, os mato-grossenses vivem a realidade da saúde no Brasil.

Outro problema que deixa a nossa saúde ainda mais na fila da UTI, é o valor do repasse que passa de R$ 650 mil, para R$ 320 mil a partir deste mês de Novembro. Se com o repasse de mais de 600 mil, e que é pago sempre atrasado a situação é caótica, imagina o que a saúde de Pontes e Lacerda vai passar com o valor do repasse do governo reduzido.