A última sessão legislativa da Câmara de Vereadores teve como grande assunto discutir a implementação da taxa de coleta de lixo que estava imbuída no projeto de lei 2191, de iniciativa do Executivo Municipal.

Após serenados os ânimos entre os parlamentares e o prefeito Alcino Barcellos em reunião da Ordem do Dia – que precedeu a sessão – a maioria dos vereadores ainda abordou o caso da taxa do lixo, mas em tom conciliador.

O vereador Ivanildo Amaral ressaltou que a mudança no projeto de lei tirando a autonomia do Executivo na implementação de taxas foi uma conquista de todos os parlamentares, preferindo não individualizar o mérito.

Anderson Barbosa também elogiou os vereadores pela participação efetiva dos colegas na busca de uma solução consensual no caso do projeto de lei 2191 e disse que pediu ao prefeito que atenda às indicações de todos e não apenas de alguns parlamentares.

Maxsuel Guimarães demonstrou toda a sua indignação contra a postura do prefeito Alcino Barcellos contra os vereadores, em especial contra Anderson Barbosa, em decorrência da discussão da taxa de coleta de lixo. Segundo ele, a Câmara como instituição foi atingida.

Na votação do projeto municipal de saneamento básico foram incluídas duas emendas de iniciativa dos vereadores Ivanildo Amaral e Anderson Barbosa que garantem a realização de uma audiência pública para a implementação da taxa e, concomitante, o encaminhamento de lei específica para aprovação pelos vereadores.

O projeto,  com as emendas, foi aprovado por unanimidade.