A primeira sessão da Câmara de Vereadores de Pontes e Lacerda ocorreu na noite desta quinta-feira (02/02). O auditório da Câmara estava praticamente lotado.

A pauta do dia se resumiu a algumas indicações e várias críticas à maneira como o Executivo Municipal tem se portado diante do Legislativo. O prefeito Alcino Barcellos não encaminhou projetos nem mesmo mensagem aos vereadores referente ao início do ano legislativo.

Veja os principais assuntos abordados no Grande Expediente:

Anderson Barbosa – Fez ácidas críticas ao prefeito municipal, falou da necessidade de que haja respeito mútuo entre Barcellos e os vereadores, “cada um trilhando o seu caminho, Legislativo e Executivo”. Citou que não somente o prefeito tem “sangue na veia”. Os vereadores também.

Antonio da Dengue – Lixo hospitalar da zona rural está sendo transportado na ambulância. Sepultou o pai há poucos dias em um cemitério tomado pelo mato.

Rogério Lero Lero – Também falou sobre a falta de conservação no Cemitério Municipal.  Disse que, no sepultamento do pai do colega vereador foi necessário abrir caminho dentro do matagal. Disse que fez a divulgação do estado do cemitério nas mídias sociais e foi repreendido pelo prefeito Barcellos, dizendo que não deveria ter publicado.

Maxsuel Guimarães – Indignado com a situação da agência local do Banco do Brasil, mais de sessenta dias com atendimento precário.

Natalícia – falou sobre a necessidade da Prefeitura fazer o dever de casa quanto a limpeza de lotes e dos postos de saúde do município. Citou o posto de saúde do parque Santa Cruz.

Ivanildo Amaral – denunciou a retenção de vacinas contra a febre amarela e a perseguição política na secretaria de saúde. Disse que lutou tanto para que a atual secretária Tatiana fosse adjunta na administração anterior, ficando desapontado com ela pelas denúncias que circulam no município.