O vereador Ivanildo Amaral solicitou ao Presidente da Câmara que seja enviado um documento assinado por todos os vereadores aos Presidente da República, do Senado Federal, da Câmara dos Deputados e ao governador Pedro Taques, contra a implantação da ideologia de gênero nas escolas públicas e particulares.

O parlamentar argumenta que a “ideologia não é nada mais que a negação que existem sexos ao nascimento, com a afirmação de que a sexualidade é uma construção social onde a pessoa escolherá o que deseja ser”.

Ivanildo também ressalta que os ativistas já tentaram implantar a ideologia de gênero no País, mas que foi rejeitada pela imensa maioria da população brasileira. “Estão tentando novamente colocar em prática nas escolas, agora por meio dos municípios”, pontuou.

Atualmente o MEC está tentando usar a Base Nacional Comum Curricular, um documento que defende e  aplica a ideologia de gênero, aplicando o tema através de disciplinas como Artes, História e na área de Ciências Humanas.

No documento a ser expedido pela Câmara, Ivanildo pediu que seja citado o artigo 26 da Declaração Universal dos Direitos Humanos onde “os pais tem prioridade de direito na escolha do gênero de instrução que será ministrados a seus filhos”. E ressaltou a confiança de que os mandatários da Nação irão lutar e manter a vontade da população, que se mantém contra a implantação da ideologia de gênero nas escolas e no seu dia a dia.

Motivo da preocupação

Uma escola de ensino médio de Pontes e Lacerda já designou um professor e já tratou entre os docentes uma forma de falar do assunto com os alunos, tratando na “esfera do preconceito”. Uma das coordenadoras da Escola informou também que servidores da SEDUC – Secretaria Estadual de Educação – devem visitar Pontes e Lacerda no próximo dia 30 de outubro e que esse tema deverá também ser abordado.