Tuesday, Jul. 16, 2019

Carregando ...

‘Já é uma realidade’, diz prefeito sobre instalação de ZPE em Cáceres (MT)

Escrito por:

|

18 de abril de 2019 às

11:23

|

Postado em:

‘Já é uma realidade’, diz prefeito sobre instalação de ZPE em Cáceres (MT)

A instalação da Zona de Processamento e Exportação (ZPE) em Cáceres, a 220 km de Cuiabá, passou por reestruturação e já é considerada uma ‘realidade’, na avaliação do prefeito de Cáceres, Francis Maris Cruz (PSDB). A obra é aguardada há mais de 20 anos.

Ele foi entrevistado no quadro Papo das Seis, do Bom Dia Mato Grosso desta quarta-feira (17).

“É um sonho acalentado há muitos anos. Havia inúmeros erros no projeto. Isso já foi corrigido. Iniciamos a construção com as paredes, escritórios, alfândega, receita federal, bases e temos o início da construção. Já é uma realidade”, comentou o gestor.

Já para o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, César Miranda, a instalação depende de um estudo de viabilidade.

O projeto

Pelo projeto, a ZPE de Mato Grosso deve ocupar uma área de quase 240 hectares, na fronteira com a Bolívia, região que é estratégica para o escoamento da produção do estado e para a integração econômica com os países sul-americanos. Quando a ZPE estiver operando, a expectativa é de que sejam gerados cerca de 20 mil empregos.

Ao todo, deverão ser construídos cinco módulos com capacidade para abrigar 230 indústrias. Na primeira etapa, serão construídos oito prédios para a instalação da Receita Federal, administração, oficina mecânica, restaurante, apoio ao motorista e guaritas.

Os outros módulos serão comercializados com as empresas interessadas em se instalar. Em troca, elas terão isenção de impostos para exportação.

A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec) disse que trabalha para destravar definitivamente o projeto, que foi lançado em 1990, e é visto pela atual gestão como uma das ferramentas de combate ao empobrecimento da região Oeste.

A obra é aguardada há mais de 20 anos e até hoje, sequer a área administrativa foi concluída. A pasta estima que serão gastos mais R$ 60 milhões apenas na estrutura física, que inclui o fornecimento de água, eletricidade, captação e tratamento de esgoto e demais serviços essenciais.

Print Friendly, PDF & Email

Artigos relacionados

Alunos participam de exame de faixa do Projeto judô e vida da PJC
Principais prêmios do Oeste da Sorte saem para Pontes e Lacerda. Confira o nome dos ganhadores
Piscina da Vila Olímpica continua abandonada e água parada preocupa moradores [COM VÍDEO]

Deixe um comentário sobre isso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*