As lojas de Pontes e Lacerda que vendem confecções, eletrodomésticos, veículos, papelaria e celulares, na prática, são as que estão obrigadas a fechar as portas nos próximos dez dias, prejudicadas pelo decreto municipal 068/2021 e decreto estadual 874, de 25.03.2021.

As demais estão inseridas no Decreto Presidencial 10.282, de 2020 que define as atividades essenciais.

Justamente os comerciantes que foram sacrificados e impedidos de abrir as portas em Pontes e Lacerda são os que mais sofrem com a concorrência desleal das vendas pela internet, que vão continuar, sem qualquer obstáculo.

E os serviços de transporte de carga e os correios vão continuar trabalhando normalmente.

Entenderam a lógica?

Querem “quebrar” os pequenos empresários, impedindo-os de trabalhar e proporcionando que o consumidor busque a internet para efetuar compras.

Com a conivência do Poder público, isso tem nome e sobrenome: concorrência desleal.

E apelido: “sacanagem”.