O governador Pedro Taques e o secretário de Infraestrutura e Logística,   Marcelo Duarte, estiveram em Brasilia nesta semana e receberam a confirmação de que Mato Grosso aumentará para sete o número de aeroportos habilitados para aviação regional comercial. Na região oeste apenas Cáceres será beneficiada. Pontes e Lacerda está fora da lista.

Para as novas rotas aéreas que dão acesso para o Pantanal e municípios com potencial turístico e de negócios, três aeroportos regionais do Estado vão receber investimentos para melhoria da infraestrutura e segurança das unidades. Na cerimônia no Ministério dos Transportes, Taques, Duarte e o ministro Maurício Quintella assinaram Termos de Compromisso que totalizam R$ 18 milhões para os aeroportos de Tangará da Serra, Cáceres e Sinop.

“Mato Grosso conquistou uma posição de destaque. Dos 13 aeroportos regionais contemplados, três são do nosso Estado. Antigamente existiam projetos sem realidade, de forma surreal, agora de uma forma organizada fomos contemplados”, declarou o governador.

Segundo explicou o secretário Marcelo Duarte, a atual administração do Governo do Estado ampliou de três para cinco o total de aeroportos regionais com voos comerciais, e, com os novos termos este número subirá para sete em 2018.

“Antes no Estado existia aviação regional em Rondonópolis, Alta Floresta e Sinop. Reformamos e ampliamos os aeroportos de Barra do Garças e Sorriso que agora recebem voos regulares. Com esta parceria, vamos promover melhorias nos regionais de Cáceres e Tangará da Serra para que eles sejam habilitados para voos. Já em Sinop o nosso objetivo inicial é realizar obras para garantir uma maior segurança na unidade. Assim ampliaremos de três para sete unidades com aviação regional comercial”.

Os prefeitos que compareceram ao evento comemoram os investimentos assegurados pelo Governo do Estado. “Temos uma população superior a 100 mil habitantes, um município com dois frigoríficos, que produz soja, girassol e produtos do agronegócio, com comercio pujante e a população necessita de serviços de aviação regional”, disse o prefeito de Tangará da Serra, Fábio Junqueira.

A aviação poderá incentivar o turismo no município pantaneiro de Cáceres e também facilitar a integração com a América Latina. “Com esses investimentos que garantirão obras de infraestrutura, voltaremos a ter voos regulares para Cáceres. Estamos na divisa com a Bolívia, na rota de Santa Cruz de Sierra, Iquique no Chile, então é um aeroporto importante para aviação”, comentou o prefeito Francis Maris.

Apesar de Pontes e Lacerda reunir condições de ter uma linha aérea comercial devido a capacidade econômica e prodtiva, além de estar a 450 km da capital e ser polo regional que atende a nove municipios, sequer foi objeto de comentário pelas autoridades que tratam do assunto.