O Ministério Público deu prazo de dez dias para que este Blog apresente os documentos que embasaram a denúncia de que poderia haver superfaturamento na aquisição de camisetas distribuídas na 5ª Etapa do Campeonato de Motocross realizada pela Prefeitura de Pontes e Lacerda e divulgada no dia 18 de julho.

A denúncia já é de conhecimento também da Câmara de Vereadores. Segundo conseguimos apurar, na Ordem  do Dia da última sessão – contrariando a função constitucional de fiscalizar as ações do Executivo – a maioria dos vereadores decidiram fazer “vistas grossas” e não investigar se a denúncia é procedente e muito menos dar satisfação à sociedade.

Como a ação fiscalizadora normalmente é identificada como  a busca  de irregularidade, essa função não é usada pelos parlamentares que apoiam o poder executivo.

A Câmara de Pontes e Lacerda parece que transferiu essa responsabilidade para o Ministério Público.

Neste mandato, não é a primeira denúncia que os vereadores deixam de apurar. Sabe-se lá o real motivo.