Hoje quando visitamos a capital Cuiabá, é comum encontramos em várias partes da cidade principalmente no centro, os famosos flanelinhas. Eles fingem cuidar do seu carro, e os condutores fingem que acreditam, porque se você não pagar, o seu carro fica marcado, e na próxima vez que você for estacionar, vai ter uma surpresa.

Mas agora esse serviço chegou no transito de Pontes e Lacerda, e não precisa ir tão longe para saber como funciona o sistema dos flanelinhas. Eles usam papelões para “tapar” os para-brisas e protege-los do sol. São muito ágil, você mal sai do carro e lá estão eles, prestativos e muito atenciosos. Mas ao retornar para o veículo a pressão inicia, ainda mais se for mulher, eles ficam ameaçando e pedindo dinheiro.

A atendente de lanchonete que não quer ser identificada, relata que um dia um cliente acabou brigando com um flanelinha, porque ele estacionou o carro e na hora de sair, entregou um real para o suposto trabalhador autônomo, que ficou furioso pelo valor doado e ainda ameaçou o cliente.

Independente se for homem ou mulher, se não paga tem o risco de ter a moto ou o carro danificado, como já aconteceu com um empresário que deixou o veículo estacionado, e não pagou e teve a caminhonete arranhada alguns dias depois, no estacionamento próximo ao banco do Brasil.

No departamento de jornalismo da TV Centro Oeste, chegou inúmeras denúncias de vítimas, que foram ameaçadas pelos flanelinhas. A prefeitura tem que tomar providencias, porque se um vendedor ambulante chegar na cidade para vender seus produtos ele tem que está devidamente registrado na prefeitura. Essas pessoas estão trabalhando em local público e ainda extorquindo dinheiro da população, não pode ficar assim.