Uma grande quantidade casos de conjuntivite está assombrando a comunidade de Pontes e Lacerda. Cerca de 9 casos são registrados por dia nas unidades básicas de saúde.

A conjuntivite é uma doença que se caracteriza pela inflamação da conjuntiva, causada por agentes tóxicos, alergias, bactérias ou vírus. A conjuntiva é a membrana transparente que recobre o globo ocular e a parte interna da pálpebra. A conjuntivite viral é altamente contagiosa, freqüente no verão, e apesar de não ser grave provoca muito incômodo e alguns cuidados devem ser tomados para que não se transforme em epidemia. 

Geralmente compromete os dois olhos, não necessariamente ao mesmo tempo, sendo o contagio feito pelo contato direto com a pessoa doente ou objetos contaminados. Esta contaminação ocorre com maior facilidade em ambientes fechados como escolas, creches e ônibus.

Em Pontes e Lacerda, um surto de conjuntivite está assustando os cidadãos. Quem foi contagiado com a doença, pode transmiti-la facilmente a outra pessoa. 

Nos ESF’s do município, a procura por atendimento médico têm sido constante. Segundo a Chefe de Vigilância em Saúde, Nilva Borges, ” acima de 3 pessoas da mesma família que tiveram vinculo ou contato com quem tem a doença, já pode ser considerado um surto de conjuntivite.” 

Algumas medidas podem ser tomadas para se evitar a propagação da conjuntivite viral:

-Lave suas mãos com frequência.
-Não coloque as mãos nos olhos para evitar a recontaminação.
-Evite coçar os olhos para diminuir a irritação da área. 
-Lave as mãos antes e depois do uso de colírios ou pomadas. 
-Ao usar, não encoste o frasco do colírios ou da pomada no olho.
-Evite a exposição à agentes irritantes (fumaça) e/ou alégenos (pólen) que podem causar a conjuntivite.
-Não use lentes de contato enquanto estiver com conjuntivite.
-Não use lentes de contato se estiver usando colírios ou pomadas.
-Não compartilhar lençóis, toalhas, travesseiros e outros objetos de uso pessoal de quem está com conjuntivite; 
-Evitar piscinas. 

A Secretaria de Saúde alerta que os casos podem aumentar e ainda faz uma sugestão aos empregadores para liberação de funcionários que contraíram a doença, assim um tratamento poderá ser realizado e os demais não serão contagiados.