O problema da saúde na região e do Hospital Vale do Guaporé, em Pontes e Lacerda, não é somente a falta de recursos financeiros. É essencialmente político.

E os fatos comprovam essa assertiva.

A falta de liderança e da união de objetivo dos prefeitos do Cisvag – Consórcio Intermunicipal de Saúde do Vale do Guaporé tem sido o principal motivo da crise vivida na saúde nesta região.

Desde a sua criação, o Cisvag sabia que a melhor maneira de dar qualidade ao atendimento da saúde era o fortalecimento do Hospital Vale do Guaporé, por questões estratégicas, políticas e geográficas.

Este ano, entretanto, o presidente do Consórcio, Alcino Barcellos, conseguiu desagradar alguns prefeitos e criar um clima político totalmente desfavorável para Pontes e Lacerda. E as consequências funestas não demoraram a aparecer.

Estamos correndo o sério risco de reduzir ainda mais o número de municípios que compõem o Consórcio, enfraquecendo o poder político da região e dificultando arrumar argumentos que justifiquem manter Pontes e Lacerda como polo regional de saúde. Originalmente com nove , o Cisvag é composto hoje de sete municípios e poderá chegar a menos de cinco.

Segundo conseguimos apurar, o Consórcio Nascente do Pantanal (25 municípios) que será o administrador do Hospital Regional de Cáceres, em reunião nesta manhã, conseguiu levar Comodoro para lá, e deve ser acompanhado de Campos de Júlio. O prefeito de Vila Bela da SS Trindade não quer nem falar sobre o assunto.  Geraldo Ramos, de Vale de São Domingos, já teve discussão ácida com o prefeito de Pontes e Lacerda mas, político experiente, aguarda o desenrolar dos acontecimentos.

De acordo com alguns prefeitos, Alcino Barcellos perdeu as condições de continuar presidindo o Consórcio. Falta habilidade. Sobra arrogância. E isso em política é fatal.

Se  Barcellos não deixar a presidência do Cisvag, os danos para Pontes e Lacerda, na área da saúde, serão enormes e irreversíveis. O que se construiu ao longo de décadas poderá ser jogado fora em meses pela  falta de tato político.