Wednesday, Jan. 23, 2019

Carregando ...

Prefeitura de PL perdeu mais de R$ 3 milhões de recursos federais e desativou Defesa Civil

Escrito por:

|

26 de março de 2018 às

23:35

|

Postado em:

Prefeitura de PL perdeu mais de R$ 3 milhões de recursos federais e desativou Defesa Civil

De acordo com denúncia que circula nas mídias sociais, o prefeito Alcino Barcellos dispensou o recebimento de cerca de R$ 3 milhões disponibilizado pelo Governo Federal através do Plano Emergencial de Ajuda através da Defesa Civil de Mato Grosso destinada à recuperação das pontes da Região do Matão, onde algumas foram danificadas e outras levadas por uma grande enchente ocorrida em 17 de janeiro de 2016(veja aqui), ainda no mandato do ex-prefeito Donizete Barbosa. Com um detalhe: as pontes seriam construídas de concreto.

Segundo consta, dando mostras de que não estava nem um pouco preocupado com os recursos e com a prevenção de sinistros naturais, o atual Prefeito decidiu ainda desativar a Coordenadoria da Defesa Civil do Município.

O descaso de Alcino Barcellos foi tão gritante que não quis ter sequer o trabalho de preencher um orçamento-padrão para que os recursos federais fossem repassados para o Município, apesar de instado  fazê-lo. Para tentar intervir em favor de Pontes e Lacerda o Coordenador Geral da Defesa Civil do Estado procurou ser recebido em audiência por Barcellos, mas este se recusou em recebê-lo.

Um político que participou ativamente na busca dos recursos estava revoltado com a atitude de Alcino, chegando a dizer que “essa verba foi aprovada no mandato Donizete e o falastrão jogou fora. À época quem estava à frente da Defesa Civil era o Tenente Wagner. Donizete foi à Brasilia para aprovar tudo. O Governador visitou pessoalmente toda a região atingida, sobrevoando de helicóptero as regiões de Pontes e Lacerda e Porto Esperidião. As pontes de Porto Esperidião já estão prontas desde o ano passado”.

Nesse período foi criada a Defesa Civil em Pontes e Lacerda com cerca de dezoito membros. Ainda segundo uma fonte, “o projeto passou pela Câmara, tendo sido nomeado o Robert como Coordenador que foi posteriormente exonerado pelo Falastrão”.

Sem um órgão da Defesa Civil no município, a população fica desprovida de ações preventivas e outras de emergência, como as que acontecem pelo excesso de chuvas ou por incêndios.

Promessa de investigar

O vereador Maxsuel Guimarães, ao tomar conhecimento, prometeu se encontrar com o Coordenador Geral da Defesa Civil de Mato Grosso para confirmar o que está sendo divulgado.

A recusa, por parte do Prefeito, do recebimento de recursos e a desativação de um órgão de defesa da população pode ser considerado como improbidade administrativa e moralmente abjeto.

Não confundir com recursos para outras pontes

De acordo com a mesma fonte, “Os recursos federais abandonados por Barcellos não tem qualquer relação com as verbas que já foram aprovadas para a construção de pontes mistas no Município. A fonte é do Ministério da Agricultura (MAPA)  para pontes no Barreirinho (próximo ao Hélvio),  na Primavera (próximo ao parente do Tocha), no Cerro Azul (próximo ao José de Carvalho) e na estrada do Paeta. Quem conseguiu a liberação dos recurso foi o deputado Ezequiel Fonseca”.

Print Friendly, PDF & Email

Artigos relacionados

Atendendo pedido de Ivanildo Amaral, deputado Dr. Leonardo busca solução para crise da Santa Casa
Para desviar foco na crise da saúde Alcino faz críticas e nega sobre pressão do MP para construir ponte de concreto na Coura Garbim
Funcionários da Santa Casa preparam férias coletivas. Único anestesista foi embora

(1) Reader Comment

  1. Zeca
    5 de abril de 2018 at 11:27

    Poxa, aí não é ser somente egoísta, é burro mesmo!

Deixe um comentário sobre isso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*