O relatório da CPI das Palmeiras já está pronto e deve ser votado pelos vereadores na sessão extraordinária marcada para a próxima quarta-feira (08/11), às nove horas, no plenário da Câmara.

A Comissão Processante recebeu a incumbência dos onze vereadores de apurar as irregularidades apontadas na compra de 240 palmeiras, feita pelo prefeito Alcino Barcellos com denúncias apontadas no processo de licitação e com dúvidas suscitadas na data do plantio das árvores ornamentais, além da denúncia de que a quantidade de mudas plantadas e as que estão em estoque é menor do que as que foram adquiridas. Tinha prazo de noventa dias.

Criada em 5 de outubro, em um mês a presidente da Comissão, Natalícia Inácia, acompanhada do relator Juninho Cabeleireiro e Rogério Lero Lero analisou, investigou e devem ter inquirido os envolvidos – inclusive quem denunciou. A CPI chegou a uma conclusão, emitiu relatório e já solicitou uma sessão extraordinária para apresentação do resultado do trabalho.

A Comissão não emitiu qualquer informação sobre o andamento do processo para a população ou através da imprensa que dá cobertura aos trabalhos do Legislativo, embora a transparência tenha sido um compromisso da presidente, vereadora Natalícia. O relator Juninho Cabeleireiro antecipou – no ato de sua escolha para compor a CPI – que seria apenas um desgaste político. O assunto é tratado a “sete chaves” na Câmara.

Segundo informações, o Ministério Público também está apurando o caso.