Na última segunda-feira, os enfermeiros da unidade de saúde já haviam emitido um comunicado informando que iriam cruzar os braços por conta dos atrasos salariais. Eles já estão há quase dois meses sem receber.

O presidente do Sindicato dos Profissionais de Enfermagem (Sinpen-MT), Dejamir Soares, criticou a falta de repasses e de informações a respeito de emendas parlamentares e os recursos que entram para a unidade de saúde.

“Mais uma vez por falta de pagamentos, indo para a segunda folha de atraso. De um lado está a categoria sem receber. Do outro a Prefeitura nega e aponta que todos os recursos estão sendo pagos dentro do tempo hábil. O Estado também diz que está dentro da contratação, e a Santa Casa afirma que está com os repasses atrasados”.

Não é de hoje que os funcionários reclamam da  situação financeira da instituição, que, segundo seu presidente Antônio Preza, continua trabalhando com um déficit que gira entorno de R$ 700 mil mensais.

Assim como os funcionários, Preza também afirma que não tem mais como levar a situação financeira adiante.

Pacientes de Pontes e Lacerda, cerca de 430 km da capital Cuiabá, que foram encaminhados pela Secretaria de Saúde foram devolvidos, e agora não aceita nenhuma regularização.

Fonte/MT Via Rádio