Com o início do ciclo chuvoso na região, vem também a preocupação com os cuidados e a prevenção, para evitar um indesejável surto de dengue na população.

Em Pontes e Lacerda, vários casos de dengue já foram confirmados e dezenas de casos suspeitos em várias regiões da cidade durante o período chuvoso.

Como diz o ditado popular, “é melhor prevenir do que remediar”, se o Município, através da secretaria de saúde e junto à população, se antecipar ao problema, fica mais fácil evitar um surto da doença na nossa cidade.

Diante da realidade, aconteceu na tarde desta segunda-feira(13/11), na Secretaria de Saúde-SEMSA, uma reunião com os membros da sala de combate epidemias, além de entidades e clubes de serviços. O objetivo foi traçar metas de combate a proliferação do mosquito da dengue. E apresentar os números obtidos no Lira (levantamento de índice rápido para infestação de Aedes Aegypti), que apresentou o resultado de 1,7% de infestação (médio risco para epidemia de dengue) para mosquito transmissor da dengue, Zika e Chikungunya.

Desde do início do ano os números são os seguintes. Janeiro 6.3, Março caiu para 3.3, Maio reduziu mais ainda 2,4, em Julho e Setembro foi quase a zero o índice 0,3. Mas no mês de Novembro começou a subir devido ao período de chuvas, e já atinge 1,7.

Um dos bairros com maior número de foco para proliferação do mosquito foi a Vila Guaporé, seguido pela Morada da Serra e Residencial Vera. Os com o menor índice foram registrados no Residencial Gloria e Pedro Prestes II.

A população também pode colaborar com a campanha, tirando 10 minutos por dia para fiscalizar o próprio quintal, evitando agua parada em jarros de flores, calhas, tampinhas de garrafas, caixas d’agua destampada. Com a dengue não se brinca, e o caos que está a saúde em Pontes e Lacerda é melhor prevenir.