O que pareceu ser um incêndio através de várias fotos que circularam nas redes sociais na noite da última quarta-feira (09/11), foi apenas o sistema de segurança da Caixa Econômica, na agência de Pontes e Lacerda. Muita fumaça vinda de dentro na unidade bancária causou preocupação às autoridades.

O Corpo de Bombeiros e a PM foram acionados pois um transeunte que passava pelo local, viu a neblina e pensou ser fumaça causada pelo fogo. De imediato as guarnições de serviço, se dirigiram até a agência e prestaram o atendimento. Quando por fim constataram que não havia fogo algum no prédio, e sim um gerador de neblina, que teria sido acionado por engano.

Este tipo de sistema que garante a segurança dos bancos caso sejam invadidos por ladrões. A solução integra softwares inteligentes, sensores e um gerador de neblina, que é automaticamente ativado quando o ambiente do caixa eletrônico é atacado. E você pode se perguntar: neblina? Para combater a bandidagem? Pois é, trata-se de uma névoa artificial que atinge a visão e a audição do ladrão gerando completa desorientação. Antes mesmo de chegar ao ponto de explodir o caixa, uma neblina bastante densa toma conta do ambiente em questão de segundos. Dá só uma olhada. Quer dizer, realmente não dá para ver nada. Segundo a empresa que desenvolveu o sistema, a composição química da neblina não é prejudicial à saúde e totalmente inofensiva aos seres humanos.

Além de não causar qualquer irritação na pele ou nos olhos, a neblina não danifica qualquer tipo de material ou equipamento presente no local.

Segundo a Polícia Militar, em Pontes e Lacerda, o sistema foi acionado da central da Caixa Econômica que fica em Brasilia e pode ter sido por engano. O monitoramento feito pelo circuito de cameras será avaliado para esclarecer qualquer duvida quanto ao ocorrido.

 

Da Redação / Olhar Digital