Na sessão da Câmara de Vereadores realizada desta segunda-feira(23), a Administração Municipal apresentou 06 projetos com pedido de regime de urgência, e somente um dos pedidos foi aprovado.

Um deles é o Projeto de Lei 2227/2018, que solicita a abertura de credito no valor de R$ 200 mil, para bancar as festividades comemorativas ao aniversário de Pontes e Lacerda.

Dos 11 parlamentares, apenas dois que sempre votam a favor, Rogerio Lero Lero e Juninho  acolheram o pedido. Os demais pediram explicações no projeto, pois gera algumas dúvidas, como o valor do show da dupla Maira e Maraisa, que custa R$ 250 mil.  Como o Poder Executivo enviou o projeto de lei pedindo abertura de credito no valor de 200 mil, a questão é como será feito o restante do pagamento do cachê da dupla.

Outro projeto de lei reprovado foi o de número 2228, que solicitou a abertura de credito no valor de R$124.611,75 para obras complementares na UPA. A recusa foi porque, na visão dos parlamentares,  a UPA já foi até inaugurada e nunca ter funcionado, agora estão solicitando mais recursos.

O vereador Ivanildo Amaral ainda destacou que equipamentos implantados na unidade de saúde foram saqueados. “Pura falta de competência da administração municipal, até hoje não conseguiram fazer funcionar a unidade de saúde, a área está completamente abandonada, hoje se visitarmos a UPA vamos encontrar só mato, e o prefeito não pode reclamar que já aprovamos outros créditos adicionais para ativação da unidade de saúde, isso se chama falta de gestão”, ressaltou o vereador.

O único pedido de urgência aprovado pelos vereadores foi ao projeto de lei que autoriza a liberação de R$ 45 mil reais para a aquisição de equipamentos para os departamentos do Cras, Creas,Casa Lar, e Bolsa Família.

Diferente de algumas sessões onde a maioria dos vereadores aprovavam quase por unanimidade os projetos de lei, desta vez o prefeito Alcino Barcelos, levou um “banho de balde com água fria”.

Nos bastidores da política e nos “bares” da cidade o prefeito sempre comentou que não precisa de vereadores para fazer gestão.