Na sessão de hoje (10/06), a maioria dos vereadores rejeitou o projeto de construção de uma pista de malha na praça do Ginásio Bezerrão. Os votos contrários foram em todas as comissões  e, no final, no plenário.

Por seis a cinco, com o “voto Minerva” do presidente da Casa, Maxsuel Guimarães, a Câmara arquivou o projeto de custaria aos cofres públicos R$ 196 mil.

Os vereadores Anderson Barbosa e Márcia Pontes justificaram que não eram contra a construção da “pista de malha”, mas que o momento vivido pelo Município e as demandas ainda não atendidas pelo Prefeito – principalmente nas áreas da saúde e educação – deveriam ser priorizadas. Segundo Anderson, “mesmo na área dos esportes, é preciso primeiro reformar o Ginásio Bezerrão e o Larissa, por exemplo”.

O relator do projeto, Pedro Vieira, argumentou que foi buscar informações junto aos jogadores desse esporte e eles não sabiam da intenção da Prefeitura. “Preferimos que a pista existente seja beneficiada com mais benfeitorias do que a construção de uma nova”, disseram ao parlamentar.

Jogo sem expressão popular

“O jogo da malha é um tipo de esporte de origem portuguesa onde se lançam discos de metal em direção a um pino que se encontra a alguns metros de distância. O campo para sua prática é nivelado com 40 metros de comprimento e 2,5 metros de largura. Nas duas extremidades traça-se um círculo de 1,6 metros de diâmetro e coloca-se um pino de madeira ou similar no centro”.

O esporte não tem muitos adeptos e é sem expressão em Pontes e Lacerda, sendo jogado por um público restrito. Já existem outras pistas no Município.

Segundo a Wikipedia, “documentos apontam que no período colonial jogava-se malha em todo o país”.